quinta-feira, dezembro 24, 2009

No coração: "Could We" - Cat Power



Antes de começar, clicou no play? Clique agora, a música está aí para ser ouvida!

Hoje no almoço estava conversando sobre 'Felicidade', assim, com 'F' maiúsculo mesmo, e sabe aquele tipo de conversa que mesmo depois de um tempão você ainda encontra mais coisas que queria (ou devia) ter dito? Então, foi esse tipo de conversa.

Mas o ponto principal que eu quis dizer - e consegui - foi que a Felicidade não é algo que se busca, mas sim que se encontra, e mesmo com meus altos e baixos, crises, dramas e momentos de êxtase, loucura, eu sempre pude dizer que sou feliz. Posso estar triste aqui e ali, mas eu sou feliz. No meu caso é uma doença mesmo. Pollyanisse. Crônica. Terminal.

Talvez seja o espírito Natalino que eu tanto adoro, o fim do ano, as promessas que 2010 ainda guarda, mas eu estava feliz no almoço, conversando com gente legal, comendo feijoada e sorvete, depois de novo, na janta, rindo com gente que eu amo, comendo comida tailandesa, e entre o café da manhã e o almoço e de novo, entre o almoço e a janta, mesmo parada no trânsito, o entardecer estava ótimo, a música perfeita.

Eu disse que vejo a felicidade como um contentamento constante, mas quis dizer a palavra em inglês, porque em português 'se contentar' tem uma conotação negativa e o que eu vejo é algo bem positivo, é um estar contente, feliz constantemente, porque Felicidade não é algo que se busca, mas sim algo que se encontra, no dividir uma refeição com pessoas novas, rir com amigos antigos, tomar um café de madrugada, ouvir uma música que nos move, em tudo, o tempo todo, a cada instante único e eterno.

Enfim, Feliz Natal!

sábado, dezembro 12, 2009

Alliance
by Maya Stein


“You have to make an alliance with your anguish,” he said,
“not wage war against it.” And I thought of all the fists
I had shaken at misfortune: games lost
because the shot clock ran out,
a good meal scorched in a forgotten oven,
money dropped on a dress worn only once,
the bully in 6th grade, the math test in 9th,
the wrong outfit at Halloween.
But of course, this isn’t what he meant.

If I were brave enough, I’d tell you how my heart
has raged for love, stretched thin as a high wire.
If I were brave enough, I’d tell you
how my body has been fighting to stay upright
on every precipitous downhill the city
throws at it. If I were brave enough,
I’d climb into your lap and weep with longing.
All I can say is that any attempt at beauty and hope
is land-mined with failure.
And so the perilous track-making begins.
Wending our way through,
there are possible clutches at sunlight, at windows, at yes.
We are each of us inches from death.
We are each of us inches from life.
We are each of us inches from one another
Year's end...

Music playing, the first one got me mad, it's a song I love and I feel like I wasted it, giving it to somebody who would not be able to properly appreciate it. Such a special song "I've found a way to make you smile... I count your eyelashes, secretly. With every one, whisper I love you. I let you sleep. ".

Then I remember him telling me how, even tough he doesn't like the band, the song gave him the chills. And I picture him at night, on the road, tired from working all day, having his spirit lifted with a song I gave him. And I get even madder.

The next song doesn't make me mad, makes me smile, takes me back to a night a while ago that was so different from what I had planned, I left mad, but so hopeful and as I walked home "these strange steps, take us back, take us back..."

Smiling I think back, revisiting the year, closure I guess.

terça-feira, dezembro 08, 2009

Com o fim da faculdade óbvio que não existiria mais vida de estudante então eu precisava decidir o que fazer da vida e só tinha certeza que não queria voltar para a fábrica (e por 'decidir o que fazer' eu quero dizer decidir como pagar minhas contas, afinal, eu não vivo de amor).

Aí que estava pensando em fazer traduções, em casa mesmo, ou talvez escrever, coisas assim, que dão trabalho e pagam mal, então 5a. passada fiquei presa no trânsito por horas e batendo papo no telefone decidi que precisava de ou um emprego que pagasse mal mas não me desse trabalho, ou então um trabalho que me pagasse bem (e não estou falando bem 10.000 por mês, mas pelo menos mais do que 3.000).

Como então estava presa no trânsito lembrei de uma piada da minha época de GV, foi bem no fim da onda B2B (Business to Business) então todo mundo brincava que a nova onda era B2C (Back to Consulting) e decidi voltar para consultoria, que dava muito trabalho, mas pagava muito bem!

Decisão tomada, sábado aproveitei um aniversário para conversar com o pessoal da área e pronto! Hoje fiz a entrevista e 5a. feira começo na empresa nova! Não paga mais tão bem quanto eu recebia há 5 anos, mas tudo bem, o importante é pagar minhas contas e depois eu vejo o resto!

quarta-feira, dezembro 02, 2009

domingo, novembro 29, 2009

Esse post ficou gigante, sorry and feel free to skip right down to the poem at the end.

No iPod: "Solid Gold" - Chuck Prophet

Parei para ouvir uma música antes de dormir e o iPod tocou essa aí em cima, que eu amo, e ele diz "I wanna raise a toast to everyone... To my friends, near and far... I wanna raise a toast to stand up men, wherever you are... I wanna raise a toast to you my love... For putting up a fight... Then I'm gonna raise my glass again, for you (you know), on this star-crossed night..." e fez todo sentido.

Antes de dormir também vi um filme e um documentário. No filme a menina diz que precisa às vezes parar e mandar o coração requisitar mais ar, ela precisa se mandar respirar. No documentário (que é melhor) a diretora, praticante de ioga, pega um cara que não acredita em yoga e acompanha 6 meses dele praticando e indo para a Índia e procurando o sentido da ioga. E ele aprende a respirar e no fim diz que o experimento foi um fracasso, que a yoga não mudou a vida dele, mas depois ele larga NY e se muda para o Colorado e vai escalar.

Antes dos filmes e de ir ao shopping com duas amigas e jantar e passear, e depois de ir à aula, eu fui ao tatuador, tinha esperanças de convencê-lo a fazer a minha tatoo, que é pequena, hoje mesmo mas nem rolou, ele só me mostrou e desenho e botou a gente na rua. Pra piorar ainda ele não tem horário para mim semana que vem e só consegui marcar de fazer a tatoo nova na outra da outra segunda feira. Daqui a algo como três anos para mim. Capaz de eu já ter desistido até lá! Então estava indo dormir, ainda pensando no que alguns dos gurus do documentário disseram, aí pensei na minha tatoo nova e na que eu pensei em fazer junto mas desisti. E então resolvi escrever.

Sempre tive muita pressa, nasci prematura, não tenho paciência, não gosto de esperar, gosto de resolver, prefiro agir a reagir. Mas esse ano me pareceu que tudo o que eu fazia não surtia o efeito desejado, tudo pareceu enrolado, parado, e quanto mais me debatia, mais afundava. Passei então a periodicamente ter que escrever no meu próprio pulso 'Breathe, Let Go', pra me lembrar de continuar respirando - e foi essa tatoo que eu pensei em fazer e desisti.

A enrolação com a monografia foi o ápice, além de escrever 'Breathe' no pulso colei um bilhete gigante na minha geladeira 'Stillness is a movement', pra me lembrar de que eu posso não gostar, pode ser contra a minha natureza, mas às vezes o melhor movimento é ficar bem paradinha.

É isso, eu, que sempre fui do time do 'faço e aconteço' tive um ano de pancada para aprender a respeitar o ritmo dos outros, para entender que às vezes o melhor a fazer é deixar as coisas acontecerem e só então decidir o que fazer. Dolorosa, irritante e tediosa essa lição.

PS1. Só para comentar, eu ainda faço e aconteço quando dá, só para evitar a morte por tédio - ontem, para evitar o tédio absoluto eu inclusive dancei em cima do balcão do boteco.

PS2. A tatoo nova é por causa de algo que pensei muito esse ano além de 'Breathe', toda hora eu precisava pensar num poema do Bukowski, me lembrar que o importante é a forma como você lida com a crise, a elegância com a qual você briga pelas coisas, o importante não é o problema, mas sim como você vai se sentir quando olhar para trás. E por isso aqui embaixo vai o poema inteiro (óbvio que só vou tatuar um pedacinho pequeno dele no meu corpo).

How Is Your Heart? by Charles Bukowski
during my worst times
on the park benches
in the jails
or living with
whores
I always had this certain
contentment-
I wouldn't call it
happiness-
it was more of an inner
balance
that settled for
whatever was occuring
and it helped in the
factories
and when relationships
went wrong
with the
girls.
it helped
through the
wars and the
hangovers
the backalley fights
the
hospitals.
to awaken in a cheap room
in a strange city and
pull up the shade-
this was the craziest kind of
contentment

and to walk across the floor
to an old dresser with a
cracked mirror-
see myself, ugly,
grinning at it all.
what matters most is
how well you
walk through the
fire.

sábado, novembro 28, 2009

De volta do boteco, postando porque eu tenho medo que apaguem meu blog se eu sumir por tempo demais...

Noite de penúltima prova na faculdade, era para ter sido a última mas a profa. de 2a. faltou e remarcou a prova p/ semana que vem. Comemoramos como se tivesse sido a última, última depois de 5 anos de curso. Comemoramos com champagne, buzinas, confete e serpetinas.

Depois da comemoração, já no boteco em frente ao prédio da faculdade, eu olhei bem e finalmente senti que sentirei saudades, dos colegas de sala, de alguns professores, até do stress das provas! Os cinco anos do curso voaram, nem percebi, agora que acabou (quase, maomenos) parece que foi só um ano.

Quando terminei a primeira graduação foi uma coisa tão de expectativa com a vida que me aguardava, ansiedade, desejo de começar logo o resto que ... sei lá, foi diferente. Ou talvez eu só lembre diferente porque faz tanto tempo que terminei a Cásper...

Enfim, mesmo que eu tenha que ficar mais 6 meses por causa da monografia, e mesmo ainda tendo aulas 2 vezes por semana até 18 de dezembro, mesmo ainda devendo relatórios e horas de estágio, acabou. Já me sinto bacharel em Direito, a parte mais demorada e difícil já foi, agora é só resolver pendências-zinhas!

É isso, duas graduações, uma pós, já decidi a próxima graduação e ainda não decidi o que eu quero ser quando crescer! Tudo bem, time is on my side.

quarta-feira, novembro 18, 2009

[Drama Mode ON] Eu, toda meio budista, a favor do caminho do meio, começo a pensar que talvez os homens caiam em uma de duas categorias: aqueles que só querem me comer e aqueles que querem só ser meus amigos. Sem coluna do meio. [Drama Mode OFF]

quinta-feira, novembro 12, 2009

Sempre pensei que o caminho para me ganhar fosse a música, o cinema, política, coisas assim, uma compatibilidade intelectual, mas de fundo emocional, sabe? Sempre pensei numa compatibilidade de gostos, um mesmo jeito de enxergar o mundo, mas de repente eu percebo que talvez compatibilidade seja mais uma coisa de sensação de conforto ao falar com alguém, uma coisa de se sentir à vontade facilmente.

Meu horóscopo diz que essa é uma época de crescimento, amadurecimento, de redescobrir meu amor-próprio, eu acredito nele.

...


Independente de compatibilidade ou qualquer outra coisa, já faz um mês que rola esse movimento... Desde meu mega-tombo eu parei, pensei e repensei e estou confortável dizendo “nhé, não, eu quero mais, eu mereço mais e não vou aceitar menos”.

E aí eu chego no outro ponto, quando digo “eu mereço mais” estou me referindo aos homens casados que me procuram (sim, no plural mesmo). Sabe, eu realmente acredito que cada caso é um caso, cada casamento é um casamento, eu desconheço o que rola entre qualquer casal e não cabe a mim julgar ou qualquer coisa do gênero, mas eu fico triste por eles, principalmente porque os dois são homens que eu adoro, mesmo. Se qualquer um deles fosse solteiro eu certamente tentaria um relacionamento.

Mas eles são casados, eu sou uma fantasia, Gilda, no momento que quero ser Rita. E eu fico triste de saber que eles estão casados e sentindo falta da fantasia, que eles estejam buscando isso fora de casa ativamente. Fico triste porque acredito que eles não estejam confortáveis vivendo isso, eles são pessoas legais, que nunca tiveram a intenção de trair as esposas, é uma situação ruim, chata e eu não gostaria de estar na posição deles. Nunca estive e não me vejo na situação deles, dentro de um relacionamento procurando alguma coisa fora.

E eu fico com medo de me casar e chegar nessa situação. E fico com medo de chegar nisso e de duas uma, ou eu parei de enxergar meu marido e não percebo que ele está sentindo falta de algo, ou até enxergo mas tenho medo de balançar o barco então finjo que não está acontecendo. Não consigo pensar em outra opção, não consigo me imaginar casando com um sociopata tão sociopata que eu possa ir dormir com ele toda noite e não perceber que está faltando algo (para ele pelo menos), a menos que eu tenha parado de enxergá-lo.

Por outro lado eu já estive em relacionamentos e deixei o piloto automático entrar em ação, outro medo então, porque é fácil mesmo deixar a coisa no piloto automático, eu até enxerguei meu saco cheio, o saco cheio do outro. Uma vez, não tive a maturidade de tentar consertar, estourei e fui embora, sem explicar. Outra vez consertei. Quero acreditar que vou continuar consertando, mas é fácil para mim falar.

domingo, novembro 08, 2009

E o que dizer? A música salva. Chuva existe pra lavar a alma (às vezes). Sepultura sempre me deixa nostálgica... Perry Farrel e Mike Patton são homens que vivem em universos diferentes de nós, o tempo todo, inclusive no palco, junto com as bandas inteiras eles continuam em um universo separado. E hoje, 24 horas depois, continuam me fazendo rir.

Ver o Faith No More foi uma coisa totalmente adolescente, afinal eu tinha uns 14 anos da outra vez, foi um dos primeiros concertos de rock da minha vida e com certeza um dos responsáveis por me fazer amar tanto shows ao vivo, aquela coisa do tesão da banda no palco, do som que faz o chão, o corpo e alma vibrar, 2, 5, 10, 80 mil pessoas cantando juntas, a música que te carrega para outro mundo.

Melhor do que só ver um concerto ao vivo é quando a banda não sobe e simplesmente toca o disco, é quando um concerto vira um Show, então o Perry Farrell aparece e eu quase morro, Ziggy Stardust is in da house! Hipnotizando todo mundo, acompanhado de mulheres semi-nuas, com um quê de gueixas, maracas, 'machismo', e quando ele diz "We have to live our lives to the fullest", só me resta concordar e aí dançar, pular e gritar loucamente.

Pra melhorar, a chuva lava minh'alma e o Mike Patton entra no palco - caralho, eu tinha esquecido como ele canta bem, fantasticamente bem - lindo, cafa (estilo Peeping Tom), derretendo todo mundo cantando "Reunited"... Daí em diante só melhorou, porrada, relax, risada, mais risada e até algumas lágrimas com o fim de "Epic". Fui para reviver a adolescência e ganhei tanto mais que nem sei explicar.

PS1. Matéria do Guss sobre o festival.

PS2. Também sou velha e estava tão podre hoje que depois do Enade fiz um dia de Home Spa, com direito a alimentação vegan (bruschetta).

PS3. Ia falar sobre o Enade, sobre como foi difícil ir mal de propósito, especialmente depois do meu colegial no Etapa que foi uma coisa lavagem cerebral com provas teste, mas nhé, tudo isso é tão pequeno perto dos shows de ontem...

quinta-feira, novembro 05, 2009

Eu ia escrever sobre finalmente ter entregue a monografia, mas não rolou, passei do prazo e só vou descobrir amanhã se vão aceitar ou não - aparentemente eu já estou reprovada, só tinham esquecido de me avisar.

Saí da faculdade então zonza com essa notícia, fui jantar, me perdi em Perdizes, cheguei ao restaurante com uma mega dor-de-cabeça, estava reclamando do ocorrido, o dono do restaurante ouviu e me disse "Ah, relaxa, as coisas acontecem porque tem que acontecer, pode acreditar que é para o seu bem!" - quer dizer, não foram com essas palavras, ele falou algo acho que mais no sentido de "se você não entregou no prazo foi porque algo em você não quis fazer no prazo"

Eu respirei, jantei, mudamos de assunto, demos risadas, ganhei presente e é isso, fiz a minha parte (atrasada, mas fiz) e amanhã eu descubro se vão aceitar ou não.

quarta-feira, outubro 28, 2009

Sábado fui a uma festa que alguns diriam que foi bem louca, salas diferentes, com coisas diferentes rolando em cada uma, performances, mulheres nuas, no centro, prédio abandonado, vídeos 'modernos', bandas 'cabeçudas', muita gente tatuada, com alargadores e piercings, muuuuuita 'pan-sexualidade'... Um monte de coisas e nada disso me impressionou. E aí pensei que estou ficando velha, chata, cínica e blasé.

Em compensação a festa de hoje que tenho certeza que muitos dos convidados estão indo por causa de trabalho e estão pensando que será um saco me deixou mega animada! Provavelmente porque é como ir à um show, mas definitivamente também tem a coisa leonina do 'glamour' e a dificuldade de conseguir um convite... Enfim, finalmente uma festa que me anima! Tanto que vou até de cílios postiços! A única coisa sem graça é ter que ir desacompanhada, mas tudo bem, o Twitter serve exatamente para isso, para quando eu preciso fazer um comentário mas estou sozinha.

quarta-feira, outubro 14, 2009

Ontem eu fui dormir chateada, levantar hoje foi demorado, não sou pisciana, mas sempre quero continuar dormindo se tiver ido dormir chateada.

A Leila Diniz uma vez disse ”Eu posso dar para todo mundo, mas não dou para qualquer um", nesse ponto eu sou como ela, sim eu sou facinha, sem medo de assumir, eu gosto de sexo, me faz feliz, até quando é ruim é bom e não precisa de forma alguma estar ligado à “amor”, não faço cú doce, tenho diabetes. E óbvio que isso não significa que eu vou dar para qualquer um, todo mundo, não qualquer um, poucos e bons.

Aí que então de tempos em tempos eu cruzo com homens que entendem isso errado, que acreditam que por eu ter dado na primeira noite eu sempre estarei disponível, que me enxergam como “uma qualquer”, como um ser que existe para satisfazê-los. Esse é o caminho mais rápido para fora da minha cama porque não é legal se sentir “uma qualquer”, não precisa ter amor, mas tem que ter respeito e consideração.

E a questão é quando eu me engano, quando acredito que rola um respeito mas percebo que não, quando me sinto um objeto à disposição somente para o prazer, a satisfação alheia, isso me faz dormir chateada.

Mas o dia começou e depois de 10 anos eu conversei de verdade, bati papo e ri com meu 'ex', e foi ótimo, “terapêutico”, me enchi de carinho, lembrei de outro dia, quando liguei para dar 'Feliz Aniversário' (no dia errado) para outro 'ex' e ficamos um pusta tempo no telefone, rindo, falando bobagem.

Taí, acordei ainda chateada mas o dia foi passando e fui lembrada de mim, do quanto de amor e carinho existe na minha vida, na minha história, do quanto sempre valerá a pena me jogar e ser feliz, ser facinha, me apaixonar, me enganar, sorrir lembrando do passado, as boas lembranças, os bons e maus momentos. All's well that ends well.
Blog um pouco abandonado, culpa em parte do Twitter, em parte da vida - que anda atrapalhada, ainda mais com a volta de todos os seriados que tenho passado horas assistindo, mas enfim...

Tive uma terapeuta que se revoltava um pouco com o que ela chamava de minha "faceta messalina" e uma vez ela sugeriu que eu implantasse na minha vida 2 regras:
1) Só sair com um homem que tivesse me convidado com pelo menos 48 horas de antecedência;
2) Só sair de novo com um homem que ligasse no dia seguinte.
(As recíprocas também era verdadeiras, eu só poderia esperar que um homem estivesse disponível se eu ligasse com 48 horas de antecedência e sempre que eu convidasse eu deveria ligar no dia seguinte)

Isso faz quase 10 anos, mas lembro disso de vez em quando e de fato acabei meio que incorporando um pouco dessas regras na minha vida, não de forma mega-rígida, claro, mas se eu gosto do cara de verdade, não só para um noite, ou algumas horinhas de diversão, eu quero que ele não assuma que estarei disponível para ele a qualquer momento, eu quero que ele ligue no dia seguinte.

Nada pior do que você gostar de alguém e esse alguém te tratar como um nada, como algo que orbita em volta dele, sem vida, à disposição a qualquer momento. Abala a auto-confiança e auto-estima de qualquer um. Ainda que eu sempre me lembre que sou uma pessoa de valor, legal, bonitinha, divertida e inteligente, é doloroso quando algumas pessoas não te valorizam de volta.

Continuei escrevendo, mas o post estava ficando gigante, com inclusive citação da Leila Diniz, quase um tratado sobre ser uma "mulher fácil" e a questão das conseqüências das escolhas que eu faço, então apaguei todo o resto, fica para outro dia, outro post.

quinta-feira, outubro 01, 2009


Ontem meu professor comentou que cansou, que quer que Dezembro chegue logo. Eu também, cansei, quero que Dezembro chegue logo.

Não tenho idéia de o que vou fazer quando Dezembro (talvez Janeiro ou Fevereiro) chegar, mas garanto que será melhor do que trabalhar, estudar ou pensar em escrever a monografia.

E de repente uma idéia antiga retorna, porque outro dia me convidaram para ir correr com (dos) touros em Pamplona, porque vi um vídeo ótimo, porque eu sempre tenho vontade de sair por aí quando estou entediada e de saco cheio...

sábado, setembro 26, 2009



Sábado passado eu estava com saudades de ser metade de um universo de dois, hoje estou me deliciando com ser um universo de uma.

Eu sou um animal ultra-social e por isso mesmo preciso tanto de dias como hoje, de silêncio, sem compromisso algum, acordar sem despertador, sair sem rumo, andando no solzinho que mais parece de Outono do que de Primavera, ler meus livros, ouvir minhas músicas, ficar comigo, desligar o telefone e sorrir pra estranhos na rua. Dia de andar no ritmo da minha própria batida.

Talvez eu esteja assim hoje porque meu irmão e meu outro irmão chegaram à Paris e eu estou tão feliz pelos dois. Talvez porque acordei e o dia está tão lindo. Talvez por causa da primavera, que tardou mas não falhou.

Talvez porque eu troquei a resistência do meu chuveiro e sempre fico feliz quando faço sozinha coisas que minha mãe diz que eu "devia arranjar um homem para fazer por mim". Ok, não funcionou, eu cansei de brincar de eletricista, assumi que foi o chuveiro inteiro que queimou e não só a resistência e deixei para resolver 2a. (e não se preocupe, eu tenho uma banheira, sou limpinha). Mas mesmo assim, é a segunda resistência que eu troco sozinha!

O importante é que depois de uma semana que foi bem difícil, hoje está sendo um dia em que eu me sinto feliz de ser quem eu sou, que eu aprecio demais minha própria cia, meu silêncio, "a música da minha existência". Dia de ficar feliz de saber que eu não deixo o mundo me vencer.

domingo, setembro 20, 2009


Tarde / Noite passada em (ótima) cia. só de casais - porque o mundo gira em pares e eu sou um número primo - e aí fiquei lembrando de duas coisas, uma cena linda linda de Lars and the Real Girl, quando ele leva a boneca a uma festa, e o que eu estava pensando outro dia sobre os universos paralelos que a gente cria quando estamos em casal.

Pensei nisso de 'universos paralelos' porque ultimamente ando tendo muitos encontros que são 'segredo', por motivos diferentes eu não posso contar para qualquer pessoa com quem eu saí ou transei, coisa meio inédita porque eu sempre fui uma pessoa que podia ser completamente clara sobre com quem eu dormi. Pensando nisso eu percebi que gosto dessa coisa de ter um segredo, desses mundos que existem com esses caras secretos (e calma com o plural, é só figurativo), esses universos que só existem dentro do meu apartamento, universo de duas pessoas.

Mas acabei concluindo que todo casal tem isso, um universo exclusivo, que existe em todo lugar em que as duas partes estão juntas. Fiquei lembrando de relacionamentos passados, as pequenas coisas, os pequenos hábitos desenvolvidos, os códigos, percebi que no fim, depois de tudo acabado e quase esquecido, foram esses universos de bobagens e peculiaridades que tornaram cada um desses relacionamentos que duraram tão únicos e especiais.

Resumindo então tudo isso, nessa madrugada de sábado, depois de passar a noite vendo casais e suas peculiaridades e mensagens não verbais e afins, sozinha em casa, eu sinto saudades de ser metade de um universo único que existe além de só aqui.

quinta-feira, setembro 17, 2009

The other day I said I was actually a man, tonight I know I'm a girl. This "medium luck in love" girl, from Jonathan Carroll

An excerpt from a letter. Friends and family were discussing an extraordinary woman who, for some mysterious reason, has had only medium luck in love. Someone who knows her very well said this:

"She wants what very few people know how to give. She wants all the simple things. Not many people know how to do simple anymore. She wants grilled cheese sandwiches at home dipped in ketchup served on a paper plate, not dinner at an expensive restaurant. She wants to sit on the beach at sunset, not some far away exotic vacation. She wants a handwritten note that says I care about you, not some piece of jewelry that was financed over three years. She wants you to brush her hair, not send her to some spa for a day.

"And she wants things even simpler than that. Simple things that it seems like we have all forgotten. She wants you to hold her hand while you're watching re-runs together on the couch. She wants you to look at her when you talk to her. So many guys have it all wrong. You think it is about where you take her and what you buy her for her birthday and for Christmas and you think it is about figuring out how her mind works. You think it is about being the best lover she ever had and you think it is about what she thinks of your career and your friends and your families and you think it is about all kinds of things that would never matter to her.

"As far as she's concerned, you can go out with the guys as often as you like. She *wants* you to have fun and enjoy yourself. You can have a job that keeps you and calls you away from home. She wants you to be happy with your work and she wants you to succeed. You can be so-so in bed. She wants to learn your body and have you learn hers. You can be greedy and selfish and demanding from time to time. She wants to work things through with you. You can see her once a week or once a month. She just wants to make the most of the time you get together.

"What does she want? That’s what someone asked. All she wants is to be loved, simply. Just like she loves everything in her life. There is no complex formula to the way she lives. Everything for her is simple and easy because everything comes from her heart. She wants to be loved from your heart. And no one in her life has done that yet because people spend way too much time over-thinking things and over-analyzing things and doing stupid or manipulative things and finding reasons not to just love from the heart. "

And then he got up and left. And no one said another word

segunda-feira, setembro 14, 2009

"The only things in life that are important are the things you remember." - Jean Renoir

Eu pensei em várias formas de começar esse post, começar falando sobre o barato da música, sobre a minha frase favorita de um dos meus filmes favoritos (“There's only one instant, and it's right now. And it's eternity.”), sobre algo que minha amiga me disse outro dia – como ela estava parada no farol da Consolação e de repente começou a tocar 'Old habits die hard' e ela olhou p/ cima e viu o lugar onde ela comia Pizza Hut na cama, sendo feliz – sobre como algumas músicas sempre lembro onde eu a ouvi pela primeira vez, como essas músicas para sempre estarão atreladas àquele momento específico, especial. Aqueles momentos que são a minha vida, a minha trilha sonora, momentos que me trouxeram até aqui.

Mas eu resolvi ser objetiva e começar contando que ontem, antes de dormir, meu iPod, que tem vontade própria, começou a tocar a música aí em cima e eu fui transportada para o momento em que a ouvi pela primeira vez, quando quis pagar de esperta e logo disse 'Bette Davis Eyes' remix (a brincadeira era 'Qual é a música?') e um par de olhos me olhou, sorrindo, daquele jeito que diz ”não, perdeu, eu ganhei”, uma boca parou de beijar meu corpo e sorriu também e disse o que os olhos já haviam me explicado. E eu sorri de volta, impossível não sorrir de volta mesmo tendo perdido a brincadeira.

O ponto desse post é que fui dormir ainda sorrindo e hoje o dono daqueles olhos, daquela boca, por transmissão de pensamento, depois de semanas, me mandou uma mensagem, que me fez sorrir de novo, ainda. Esse é o barato da música, da vida, dos momentos que a gente lembra por causa de uma música, porque a gente não lembra com peso, é leve, é sorrindo. Tudo aquilo passou, está no passado – porque as plantas que não têm para onde crescer acabam murchando e morrendo - mas sempre continua presente, é minha história – a menos que eu bata a cabeça e tenha amnésia e mesmo assim ainda acredito que vou ouvir algumas músicas e sorrir, sem saber por quê.

quinta-feira, setembro 10, 2009

"I was having this awful nightmare that I was 32. And then I woke up and I was 23. So relieved. And then I woke up for real, and I was 32."

Eu nunca tive vida de estudante, quando entrei na faculdade comecei a trabalhar para pagar a faculdade, com 17 anos, e foi isso, nunca mais parei, nem de trabalhar, nem de estudar (ok, tive um hiato de uns 4 meses de vagabundagem, pós-colapso nervoso, mas mesmo vagabundando ainda fui estudar). Fazendo as contas, nesses 15 anos trabalhando eu tive uns 4 meses de férias (somando todos os picadinhos, feriados, reveillon). Combinei então de mais ou menos tirar 3 meses de férias e me dedicar à monografia e OAB - mais ou menos porque óbvio que eu continuo fazendo coisas de trabalho sempre.

Aí que nas 2 primeiras noites de 'vida de estudante', o que eu fiz invés de ir à faculdade? Vi as minhas amigas! Papo de menininha total!! Ontem porque uma eu estava com saudades, fazia mais de 1 mês que não conversávamos e hoje porque outra teve um semi-colapso / lesbian drama / socorro. E foi engraçado, muito dos papos (porque amigas conversam mesmo e não sobre superficialidades, trivialidades, é papo sério, profundo, antropológico mesmo às vezes) giraram em torno da nossa idade, do que esperávamos da vida, do que nos aconteceu, de como vivemos, quantas coisas superamos, o futuro que nos espera e o que esperamos do futuro, "our hopes and expectations, black holes and revelations".

Duas meninas conseguem sentar e conversar sério e sem parar por 5, 6 horas, sem perceber a hora passar. É, medo, I know. E é por isso que eu não conseguiria ser lésbica.

...


Sobre ter 32 anos, além de ter falado tanto disso, idade, sociedade, vida de estudante depois dos 30, expectativas e relógio biológico nessas duas noites, agora ri de mim mesma porque abri meu email e me empolguei mais com um 'festival de king crab' do que com uma super-balada-de-sei-lá-o-quê. É, faz alguns anos que eu não ligo para super-baladas, prefiro comer super-comida.

PS. sobre vida de estudante: Por que eu amo minha faxineira mesmo ela fazendo tudo errado - ela nunca me encontra, sempre já saí quando ela chega, mas ontem eu estava em casa e ela sabe que não é para falar comigo antes de eu tomar meu café, ou melhor, que não é para falar comigo por pelo menos meia hora depois de eu ter levantado, ainda não estou conversável.

quarta-feira, setembro 09, 2009

A questão do Tédio continua rodeando... Sábado saí com uma amiga e fui lembrada do porque somos tão 'soul-sisters', comentei o quão entediada eu estava na noite anterior, durante a aula e ela respondeu "É... Evan Dando", o que me fez rir.

Quantas pessoas do mundo relacionam 'tédio' com aquele cd obscuro "Baby, I'm bored" que o Evan Dando gravou sozinho, entediado durante uma temporada de rehab? Ela e eu com certeza, imediatamente, lembramos inclusive da capa fofa e entediante do cd.

Agora, no meio do tédio de uma 'segunda-feira' que o dia inteiro teve cara de noite, chuvosa e entediante, ouço a música tema do programa novo do Jason Schwartzman que ainda nem estreou e eu já sou fã. O show se chama "Bored to death", gotta love the boy...

E um PS, apesar de minha soul-sister, minha amiga ainda é mais mulherzinha que eu e não achou graça na minha solução para o tédio de 6a. feira, enquanto meus dois amigos acharam fantástica a idéia.

quinta-feira, setembro 03, 2009

Frases soltas, pescadas de conversas aleatórias, em dias aleatórios, que ainda me fazem rir e me vieram à mente agora:

Alex: "Mas sério, se eu fosse solteiro, eu olharia qualquer uma de vocês e pensaria - 'Ah, eu vou pra casa ver um DVD, vai dar muito trabalho demais, melhor ver um filme...'"

"Se for pra nunca mais ter sexo como aquele, eu prefiro morrer agora!"
"Eu também!! Caralho, são 6.2 bilhões de pessoas no planeta, tem que ter alguém melhor!"

"Ah, mas não dá pra esperar que o sexo seja sempre fantástico, senão não dá para fazer o resto das coisas..."
"I know... Foi legal, mas totalmente esquecível... Lembrei do Jesse em Before Sunset... 'I'd welcome the challenge'"

terça-feira, setembro 01, 2009

Posso até odiar um ou outro homem de vez em quando, mas eu sempre amo os Homens. Então trombei com uma 'Thank you note to men', escrita pela linda, maravilhosa, abandonada grávida por um garotinho que foi prontamente substituído por um Homem, Mary-Louise Parker para a Esquire (BTW, meninos, no link tem fotos semi-nua/nua dela ;-)) - uma 'thank you note' perfeita, com tudo pelo qual eu também agradeço aos Homens por existirem.

A Thank-You Note to Men
By Mary-Louise Parker

To you, whom it may concern:
Manly creature, who smells good even when you don't, you wake up too slowly, with fuzzy, vertical hair and a slightly lost look on your face as though you are seven or seventy-five; you can fix my front door, my sink, and open most jars; you, who lose a cuff link and have to settle for a safety pin, you have promised to slay unfortunate interlopers and dragons with your Phillips head or Montblanc; to you, because you will notice a woman with a healthy chunk of years or pounds on her and let out a wolf whistle under your breath and mean it; because you think either rug will be fine, really it will; you seem to walk down the street a little taller than me, a little more aware but with a purpose still; to you who codifies, conjugates, slams a puck, baits a hook, builds a decent cabinet or the perfect sandwich; you who gives a twenty to the kids selling Hershey's bars and waits at baggage claim for three hours in your flannel shirt; you, sir, you take my order, my pulse, my bullshit; you who soaps me in the shower, soaks with me in the tub; to you, boy grown-up, the gentleman, soldier, professor, or caveman, the fancy man with initials on your towels and salt on your chocolates, to you and to that guy at the concession stand; thank you for the tour of the vineyard, the fire station, the sound booth, thank you for the kaleidoscope, the Horsehead Nebula, the painting, the truth; to you who carries me across the parking lot, up the stairs, to the ER, to roll-away or rice mat; to you who shows up every so often only to confuse and torment, and you who stays in orbit, always, to my left and steady, you stood up for me, I won't forget that; to you, the one who can't figure it out and never will, and you who lost the remote, the dog, or your way altogether; to you, wizard, you sang in my ear and brought me back from the dead, you tell me things, make me shiver; to the ones who destroyed me, even if for a minute, and to the ones who grew me, consumed me, gave me my heart back times ten; to most everything that deserves to call itself a man: How I do love thee, with your skill to light fires that keep me warm, light me up.

domingo, agosto 30, 2009

Essa semana assisti dois filmes The Soloist e State of Play, os dois tocam no assunto da falência do jornal impresso - discussão recorrente nos meus happy-hours, já que a maioria dos meus amigos mais queridos e próximos são jornalistas.

Essa semana também, peguei algumas monografias na facu para ver se me inspirava e fiquei com uma péssima impressão de todas (as 3 que li), parágrafos curtos, mal escritos, repetitivos. Melhor do que as que eu li no semestre passado já que fizeram uma seleção e agora na biblioteca só tem monografias com nota maior que 8, mas ainda assim, péssima impressão.

Aí agora estava lembrando de uma conversa do happy hour dessa semana, sobre o twitter e o 'estilo Kerouac' de escrever e estou concluindo que as pessoas que estão se formando agora, pela primeira vez, que essas monografias que li são tão sincopadas e repetitivas porque esses formandos só lêem coisas na internet! Deprimente pensar nisso...

sexta-feira, agosto 28, 2009

Mega gripada, liguei para meu pai para choramingar que não tinha mais comida em casa, a solução dele:, aparecer aqui na minha casa com 2 costelinhas de porco (de 2kgs cada uma) e 4 pacotes de quase 1 kg de carne moída cada! Claro que ele trouxe outras coisas como doritos, muita coca-cola, cebola, tomate e 1 repolho roxo - além de um coquetel de vitamina C e trimedal.

Resumindo então, minha geladeira agora está mega recheada, a vodka e o sorvete do meu freezer ganharam muita muita companhia e continuo com fome, afinal já gastei toda minha energia cortando e embalando a carne em embalagens individuais para congelar... Não sobrou forças para cozinhar a janta...

E pensando agora, acho que preciso perguntar p/ meu pai depois se a costelinha foi piada com a possibilidade da minha gripe ser suína...

quinta-feira, agosto 27, 2009


"The Laughing Heart" - Bukowski
your life is your life
don’t let it be clubbed into dank submission.
be on the watch.
there are ways out.
there is a light somewhere.
it may not be much light but
it beats the darkness.
be on the watch.
the gods will offer you chances.
know them.
take them.
you can’t beat death but
you can beat death in life, sometimes.
and the more often you learn to do it,
the more light there will be.
your life is your life.
know it while you have it.
you are marvelous
the gods wait to delight
in you.

quarta-feira, agosto 26, 2009

Noite de sonhos malucos, que incluíram desde o Guss me soletrando endereço esquisito de site até acordar assustada com pesadelo de notícia de acidente de avião. E aí passei o dia pensando que devia fazer um post bem legal sobre meu fds, incluindo o happy hour de hoje. Decidi fazer um post só com frases ditas desde 6a. à noite (quando o fim de semana começou) até hoje - em ordem tão cronológica quanto possível!

"Raw-beef pizza? Ok, I'll try it"
"But... why is the meat frozen?"

"Great, let's all do cachaca shots!!" - "mmmm, no, we don't do cachaça shots..."
"So, first we go get his sister, then we go get our friend and then we go to the club"

"mmmm, shots de Jagermëister! eeeeeeeeeeeeeeeee"
"Me sinto num curta-metragem amador e trash feito nos anos 70 por um estudante de faculdade..." - "Ah, eu estou me divertindo, adorei..."
"A loira é uma Stella, a morena é uma Heineken, na falta da primeira opção eu aceito a segunda"
"Ahhhhh eu aaaaamo essa música!!" - "Pra simplificar, o Roberto Carlos é nosso Elvis"
"Olha o topete do cara! Ele tem obrigação de dançar bem!"
"Tudo certo então, amanhã primeiro compramos um bong, depois feijoada no rubayat, aí aniversário e depois putaria!"
"O que eu quero de aniversário? Milk-Shake! Agora, 2 da manhã!" - "No prob, a gente acha milk-shake de Häagen-Dazs já"
"But why are we leaving already? I liked it here..." - "Get your bracelet, we'll come back after a 3AM snack!"

"Milk-shake de Häagen-Dazs... Faz mais de um ano que paramos de servir isso..." - "Tudo bem, traz um hamburguer de kobe, porção de fritas e de cebola"
"Brigadeiro = Chocolate Heaven in a Spoon"

"Rainha Naja!!! Então, é quase 4 da manhã, faz um preço especial pra gente..."
"Pergunta pro seu amigo se ele gosta de dominação!!" - "Pergunto, mas já posso te responder que sim, desde que ele seja só o espectador" - "Tá, vou montar um show já para ele, com aquela loira" - "Não, não, o legal é a gente chegar e estar rolando a putaria!! Não uma coisa montada de qualquer jeito na hora!"
"Amor, esse lugar está caído demais, a gente volta outro dia tá - e não, não vamos pagar, nem entrada nem nada. Vambora gente. Fê? Fê? Cadê a Fê? Ah, foda-se, ela se vira"

Moloko! Moloko! Moloko!


E isso foi a 6a. feira, me deu sono agora, outro dia escrevo o sábado, o domingo e hoje.

quarta-feira, agosto 19, 2009

No iPod: "I wish you well" - Marcia Ball

I'm a good person, God was good to me. Eu estava com medo de ouvir 'I'll never be free of you', mas a mulher fechou o show com "I wish you well".

Então, aproveitando que nessa hora eu já estava sozinha (pra não pagar de louca absoluta), eu chorei como há muito não fazia. Libertador. É, eu acredito em sinal divino e como a música é um crescendo no fim eu já sorria de novo e pude aproveitar o Mardi Gras intimista que rolou com a banda que abriu e fechou a noite.

I wish you freedom to do all the things you want...
I wish you sunshine through the clouds...

terça-feira, agosto 18, 2009

Feeling dizzy so sleepy I am, but I lay down and still can't sleep.

Thinking about this morning, driving to work, beautiful day, I was listening to a great song (which I can neither blip, nor find at imeem), called "I'll never be free", by Marcia Ball - yeah, I like to prepare for any concert beforehand, and even though I loved this song I'm not sure yet if I really wanna hear it live.

Anywho, the song is really really sad, but for some reason made me smile and think about the end of Before Sunset, when Celine says Baby, you are gonna miss that plane, while impersonating Nina Simone, such a perfect moment. And Jesse just adds to the perfection, smiling and replying I know.

Just like that, he knows it, she knows it too. So perfect when you just *know* things. So much easier when you have someone to whisper at your ear 'this is it, this is the moment, go ahead and get it'. But not everything works just like in the movies and that's why I feel dizzy but can't sleep just yet.

quinta-feira, agosto 13, 2009

Porque som de chuva caindo me faz dormir sorrindo, mas barulho de vento na janela me acorda assustada. E na insônia eu levanto para fumar na sala e penso na noite que foi de ego, super-ego e id, Freud e Lacan Vs. Jung, inconsciente coletivo e habilidades inatas, pinto comparado 101, veneno e maldades (porque julgar e condenar estando de fora além de fácil é gostoso), amores platônicos, paixão e entusiasmo. Terapia. A Branca de Neve que vive dentro de nós.

Vermelho Carmim, Volúpia ou Doce Vingança? Nas unhas das mãos, claro.

Clique do termostato do ofurô. 40 graus, pode entrar. 30 graus, saia porque a água está ficando fria e você é uma ameixa-passa gigante. Hora de deitar de novo.

segunda-feira, agosto 10, 2009

Do blog da Cute One:
1. Put your iPod or other music player on shuffle.

2. For each question, press the next button to get your answer.

3. YOU MUST WRITE THAT SONG NAME DOWN NO MATTER HOW STUPID IT SOUNDS!

IF SOMEONE SAYS “IS THIS OKAY” YOU SAY?
'Holiday' - Weezer

WHAT WOULD BEST DESCRIBE YOUR PERSONALITY?
'Us V. Them' - LCD Soundsystem

WHAT DO YOU LIKE IN A GUY/GIRL?
'Gabriel and the Vagabond' - Foy Vance (ok, eu adoro um vagabundo...)

WHAT IS YOUR LIFE’S PURPOSE?
'Here comes your ride' - Holidays on Ice (tá, eu não bebo alcool, sou mesmo a designated driver de todo mundo)

WHAT IS YOUR MOTTO?
'Olê Olá' - Tim Maia

WHAT DO YOUR FRIENDS THINK OF YOU?
'I'm looking through you' - The Wallflowers (pôxa, deprimi agora)

WHAT DO YOU THINK ABOUT VERY OFTEN?
'A man is in love' - Waterboys

WHAT IS 2+2?
'Trapped Love' - The Cramps (pior que pra mim fez todo sentido...)

WHAT DO YOU THINK OF YOUR BEST FRIEND?
'Something against you' - Pixies (sentimento de perseguição? Bobagem...)

WHAT IS YOUR LIFE STORY?
'3 Libras' - A Perfect Circle

WHAT DO YOU WANT TO BE WHEN YOU GROW UP?
'In the garage' - Weezer

WHAT DO YOU THINK WHEN YOU SEE THE PERSON YOU LIKE?
'I'm the one' - Molotov (sério, eu amo meu iPod, mas acho que ele tá me chamando de convencida)

WHAT DO YOUR PARENTS THINK OF YOU?
'I bet you look good on the dance floor' - Arctic Monkeys (culpa de todas as apresentações de ballet que ele foram obrigados a aturar)

WHAT WILL YOU DANCE TO AT YOUR WEDDING?
'Gut Feelin' - Devo (sério? medo...)

WHAT WILL THEY PLAY AT YOUR FUNERAL
'Os outros' - Kid Abelha

WHAT IS YOUR HOBBY/INTEREST?
'Why' - Limp Bizkit

WHAT IS YOUR BIGGEST SECRET?
'Hook me up' - The Veronicas (juro que meu segredo não é ser uma exímia pescadora)

WHAT DO YOU THINK OF YOUR FRIENDS?
'Seasons of Love' - Rent (é, 525.600 minutos de amor, tá certo)

WHAT’S THE WORST THING THAT COULD HAPPEN?
'Fire and Regeneration' - Wendy And Lisa Ft. Shankar (de novo, medo)

HOW WILL YOU DIE?
'Rebellion (Lies)' - Arcade Fire

WHAT IS THE ONE THING YOU REGRET?
'November has come' - Gorillaz

WHAT MAKES YOU LAUGH?
'Kazauta' - Kodo

WHAT MAKES YOU CRY?
'Esperándote' - Moviola

WILL YOU EVER GET MARRIED?
'No more cry' - The Corrs

WHAT SCARES YOU THE MOST?
'Sopro' - Macunaíma Trio (é fato, abstrações me assustam)

DOES ANYONE LIKE YOU?
'Shelter from the storm' - Bob Dylan

IF YOU COULD GO BACK IN TIME, WHAT WOULD YOU CHANGE?
'Sweet Sixteen' - Billy Idol

WHAT HURTS RIGHT NOW?
'Jenny don't be hasty' - Paolo Nutini

It's one and the same
It's one and the same, oh.

So what's the use between death and glory?
I can't tell between death and glory.
Happy endings, no they never bored me.
Happy endings, they still don't bore me.
They, they have a way
A way to make you pay.
And to make you tow the line.
Though I sever my ties.
Because I'm so clever,
But clever ain't wise.

And fuck forever,
If you don't mind.
Oh, fuck forever,
If you don't mind, I don't mind, I don't mind, I don't mind

quinta-feira, agosto 06, 2009

Então, sobre a lei "anti-fumo". Me irrita a idéia e não é porque eu sou fumante, mas sim porque não cabe ao Estado intervir dessa forma autoritária.

Assim, eu concordo plenamente que os não-fumantes não devem se tornar fumantes passivos de forma involuntária, eu sei que fumaça de cigarro faz mal à saúde e concordo que ninguém deve ser sujeito à ela se não quiser, sei que não basta traçar uma linha imaginária em um restaurante dizendo "aqui pode fumar porque a fumaça não vai ultrapassar a minha linha imaginária". E mesmo sendo fumante, às vezes o cheiro de cigarro me incomoda, não gosto de ficar fumando em lugares fechados, bani cigarro do meu quarto e abomino chegar em casa e a sala estar cheirando a fumaça.

O O'Malleys fez uma pesquisa e menos de 30% dos clientes deles, um pub, é fumante, por isso eles decidiram se antecipar à lei e a partir de hoje o bar inteiro é "não-fumante". Eu super apoio, sei que eu sou minoria, sei que incomodo algumas pessoas, mas isso não dá ao Estado o direito de intervir me proibindo de fazer algo que o estabelecimento privado me permite!

É como o Estado dizer que é obrigatório o uso de cinto de segurança no carro! Eu parei de usar quando virou obrigatório! Dentro do meu carro, pelo qual eu paguei e pelo qual eu pago imposto super alto, a decisão de arriscar minha saúde e integridade física é minha!! Não cabe ao Estado decidir por mim dentro do meu espaço privado! A mesma coisa o dono de um estabelecimento comercial! Não cabe ao Estado decidir! Cabe aos clientes do estabelecimento decidirem se querem ou não freqüentar um determinado local em virtude do que é permitido lá dentro!

Já existiam vários restaurantes onde era proibido fumar, não precisava o Estado intervir autoritariamente na livre-contratação e livre-arbítrio dos indivíduos! Do mesmo jeito que existem vários restaurantes vegetarianos, naturais, que utilizam produtos orgânicos, e quem quiser freqüenta esses locais! É uma escolha! O Estado não pode banir todos os botecos que servem frituras e decidir cobrar multa de quem não oferecer só produtos saudáveis aos seus clientes! É isso que realmente me irrita.

Mas no fim, foi por isso que eu fui fazer Direito. Meu mentor na GV avisou, "em muito pouco tempo quem não conhecer seus direitos será completamente dominado por um Estado autoritário e intervencionista", foi por isso que fui conhecer meus direitos e aprender a me defender.

quinta-feira, julho 30, 2009

Hoje estou dando razão ao Mau e me perguntando porque eu insisti em fazer meu aniversário no meio da semana... Estou podre. Esse definitivamente não era um ano de happy hour light, eu queria festa! E festa foi!

A mesa da minha sala ainda cheia de presentes e a coqueteleira que virou vaso de flores não me deixa mentir, com temporal e tudo eu tive festa de aniversário, com direito a truque de mágica, bolo fantástico, choro e drama, chapéus, Partagás D4, ser confundida com a caixa do bar (só porque eu estava no caixa, mexendo no computador), Jack Daniels, muita risada, gente muito amada e querida...

Enfim, tudo o que uma festa de aniversário merece - sem a parte chata das minhas festas de fim-de-semana, que sempre incluíram pé quebrado, bolo no chão, acidentes de carro, atropelamentos, sessão de vômito (por isso que eu tenho medo de dar festa no fds)! Foi perfeito, thx para quem foi!

quarta-feira, julho 29, 2009

32 Anos! Pois é... Eu não gostei de fazer 31 anos, número feio, então meio que uma semana depois do meu aniversário de 31 eu decidi que tinha 32 e falei isso o ano inteiro, "quantos anos você tem? 32!" Então agora é meio esquisito não começar a dizer que eu tenho 33 anos, é esquisito pensar em ficar mais um ano dizendo que eu tenho 32 anos (sim, muita gente pergunta minha idade - eu diria que pelo menos 3 vezes por mês alguém me pergunta minha idade - e acredita que eu estou mentindo, pra mais, o que não faz o mínimo sentido!)

Enfim, ganhei mais um ano, mas me dá a sensação de estar mentindo dizer que eu tenho 32 anos ainda. Pelo lado bom, ano passado fui num quiromante que jurou que depois dos 32 as coisas iam começar a encaixar melhor! A segunda parte que ele disse, sobre eu seguir carreira em algo político, escolhi apagar.

E como dito no Twitter: I'm 32, no money, no boyfriend, no career, no plans, good brains, great family, fantastic friends. Life is good and will only get better!

segunda-feira, julho 27, 2009

Várias coisas...

Esse fds meus pais comemoraram 39 anos de casados. Sério. Trinta e nove anos! É lindo, eles saíram p/ jantar só os dois, blá blá blá. E eu penso em duas coisas, 1. na minha 'biografia' minha mãe escreveu que eles são a primeira geração a se casar 'por amor', até a geração dos meus avôs, todo mundo, dos dois lados, fez miai, o casamento arranjado.

2. Não importa o que você faça, se tiver filho vc sempre vai errar! Meus pais, casados há 39 anos ainda saem pra tomar sorvete de mãos dadas nos domingos, o padrão é alto demais, eu não consigo entrar num relacionamento se não imaginar que vou continuar gostando do cara depois de 40 anos! Resultado, não entro em relacionamentos! Se eles fossem separados, o divórcio arruinaria minha confiança em casamentos, eu também não entraria em relacionamentos! É sempre culpa dos pais!

...


Ano passado eu tive crise dos 31 anos e não quis comemoração de aniversário, quis só um barzinho com a diretoria. Esse ano eu também estava nesse clima, happy hour, light, só diretoria, mas parei de viadagem, cú-doce e o resultado ainda é um happy hour light, mas com chapéus, e convidando toooodo mundo que quiser aparecer!

...


Eu sabia que adorava Ally McBeal, rolava uma identificação mesmo, aí peguei alguns episódios de madrugada e resolvi baixar todas as temporadas, assistindo de novo fiquei chocada como hoje faz mais sentido ainda, como a identificação é maior ainda...
"I like being a mess. It's who I am."
"I have a great imaginary world, but sometimes I just need things to happen."
"If you think back and replay your year, if it doesn't bring you tears either of joy or sadness, consider the year wasted."
Convite p/ meu aniversário!!!

sexta-feira, julho 17, 2009

Sem tempo de escrever, muita vida acontecendo...



Last night, right before finally sleeping, I was wondering if my heart could still get as broken as it used to, and thought not. Maybe I don't get as invested as I used to, which would be a total shame, but understandable. Maybe I'm jaded and don't find people as interesting as I used to. Maybe my world is larger and it takes a whole lot more to turn it upside down than it used to. Part of me wishes I could still be as heart-broken as I used to, part of me thinks it still can happen (and fears that), part of me knows that the occasional pangs I get are more than enough.

domingo, julho 12, 2009

Tudo bem, I believe I get credit for trying!
Don't worry about tomorrow
I just want to stay
So we can make it through
Another beautiful day...

Escrevendo no blog à 1:20 da madrugada do sábado? Sim, porque minha vida 'afetiva' é uma piada! E porque o Twitter só permite 140 caracteres!

Resumindo, não bastou semana passada o cara me convidar para ir dar um rolê (e eu recusei), não bastou hoje o cara me ligar 3 vezes e não conseguir me convidar para sair - sim, ele ligou 2 vezes para saber se eu tinha "algum plano" e dizer que me ligava mais tarde - para me convencer que era uma má idéia sair com ele, não bastou que na 3a. vez ele só conseguiu me convidar para ir ao Mc Donald's. Ele ligou uma 4a. vez, me convidou para ir ao cinema e eu aceitei (carência é um problema sério na minha vida).

Chegando ao cinema ele não gostou dos filmes que estavam em cartaz (eu sugeri a Era do Gelo feliz), falei para ele dar outra sugestão e aí seguiu (mais ou menos) a conversa abaixo:
Ele- Ah, bar não porque eu não posso beber
Eu- Bom, a gente pode ir ao bar só para conversar
- Ah... tipo assim véio... bar sem beber não né
- ...Ãhn?

...
- Pô... Você é muito mais gata que eu lembrava... Tô meio envergonhado...
- Hein?
- A gente pode ir pra um motel...
- ... Tá, você paga, eu quero uma suíte com hidro e estou menstruada
- Pô, que mals hein... Mas tá, tem um aqui perto que é bem legal, 5 estrelas no site blá blá blá
- Nhé, prometi não trepar com quem eu não me importo, apaga meu telefone e esquece que eu existo.

sábado, julho 11, 2009



So, who's your Billy? I know mine. Kinda. What's left to say? To do? Hate sitting on my ass, but it's not like I can do something about it. Hate things that are out of my hands. Hate waiting. Waiting for my real life to begin.

Anyhow, o post de verdade está na Danilândia, e é uma notícia linda que está lá.

terça-feira, julho 07, 2009

"We spend our whole lives worrying about the future, planning for the future, trying to predict the future, as if figuring it out will cushion the blow. But the future is always changing. The future is the home of our deepest fears and wildest hopes. But one thing is certain when it finally reveals itself. The future is never the way we imagined it."

Não vou mais falar de amor
De dor, de coração, de ilusão
Não vou mais falar de sol
Do mar, da rua, da lua ou da solidão

Meu vício agora é a madrugada...

Meu vício agora...
É o passar do tempo
Meu vício agora...
Movimento, é o vento, é voar...é voar

sexta-feira, julho 03, 2009

Capa da 'Biografia':

Muito a dizer, pouco a publicar. Meu horóscopo disse essa semana várias vezes que eu precisaria me recolher um pouco. Terça feira minha avó me entregou a 'biografia' da minha vida que a minha mãe me deu de presente de Natal há 7 anos (vou colocar a capa aqui depois porque é fofo). A tal biografia me fez pensar.

Tive crise de adolescência por estar terminando a (mais uma) faculdade e ainda não ter decidido o que eu quero ser quando crescer. Juntando a biografia percebi que de quando eu ganhei o livrinho até hoje, ou seja, em 7 anos, minha vida continua igual, trabalhando, estudando, me divertindo, em geral com os mesmos amigos, fazendo as mesmas coisas. Acredito que está faltando propósito na minha vida.

E aí? E aí que pensar dá insônia. Das bravas.

Junta isso com mais exames que eu pego em 18 anos (sim, eu fiz a conta, a vez anterior que eu peguei tanto exame assim na escola foi na 8a. série, com 14 anos!!) E mais trabalho de 20 páginas surpresa porque o prof. combina comigo uma coisa e depois muda de idéia e quem se fode sou eu. Insônia!

Mas estranhamente sem crise, só muitas idéias, mudanças de planos, planos novos! Porque eu não sou uma pessoa que sonha e fantasia, eu tenho planos! E eles podem mudar muito, mas ainda assim são planos bem pensados e desenhados e planejados e queridos!

É isso, falar muito, dizer pouco. A solução? Dançar Nick Cave na sala! E vendo o clipe eu faço planos de comprar um mastro p/ colocar no meu quarto.

PS. JL, preciso do seu comentário sobre o vídeo abaixo!!

segunda-feira, junho 29, 2009



Não sou, nunca fui e não tenho planos de ser uma pessoa só, estática, que não muda, estável. Sou e prefiro ser uma pessoa com várias pessoas dentro do mesmo corpo.

Hoje comentei sobre o 'processo de let go' e na Danilândia sempre escrevo que sou a Dani 'who can't let go', mas ultimamente até que isso tem sido fácil para mim, bem fácil, estranhamente fácil.

É o mundo que gira.


Outro dia estava falando sobre 'poder' e 'conseguir' fazer as coisas, e eu não acredito nisso, ninguém me dá permissão para fazer as coisas (óbvio que estou falando de relacionamentos), ou eu quero o suficiente e faço, ou não, tudo é escolha e ao mesmo tempo que toda escolha implica em uma renúncia, ela também traz aquilo que você quer, que você opta por viver. Você decide onde vai focar, na renúncia ou no ganho.

Não acredito em colocar a responsabilidade por viver ou não meus impulsos e realizar ou não meus desejos nas mãos dos outros, afinal, a vida é minha e ninguém vai vivê-la por mim. Acredito em saber que fiz tudo o que podia, tudo que eu quis dentro do espaço que é meu, se a outra pessoa vai se esticar no espaço dela e me encontrar, maravilha, perfeito, senão não, e pronto. Ponto.

"But I am this person."
"Jump."


E agora a nota interna: Não fiz porque no fundo talvez eu acredite que logo você vai perceber que é a sua vida que está passando, e aí talvez. No meio tempo tudo que me resta é torcer para que quando isso acontecer não seja tarde demais. Apesar de sentir que já é sim tarde demais. Maybe next time. Em outra encarnação, quando outra pessoa habitar meu corpo.

PS. Meu horóscopo fala sobre me reencontrar, e eu lembro que estou desde semana passada ensaiando um post sobre minha crise adolescente que no fim me fez lembrar que eu sou impulsiva e atirada e desmedida e insegura e medrosa e travada. A questão não é só a altura dos picos e a profundeza dos baixos, mas também a freqüência com que os picos e os baixos se alternam. Mas isso é outro post, que ainda está sendo ensaiado.
Falando sobre o futuro no sábado, estávamos comentando que todo mundo diz que pra ser bem-sucedido você tem que amar o que faz, a questão é que o que eu amo fazer é sentar com meus amigos, falar bobagem e rir. Considerando meu fds, tenho certeza que somos capazes de fazer isso por horas, horas e horas sem fim... Minha decisão então é abrir um bar, onde eu vou poder sentar com meus amigos, falar bobagem e rir! Quando conseguir fazer isso com certeza serei melhor sucedida profissionalmente!

quinta-feira, junho 25, 2009

O bebê da minha prima nasceu ontem! Minha nova 'sobrinha'... Estou mega feliz agora, só sorrisos e sorrio mais ainda pensando de repente como a vida é cíclica, como as coisas rodam, rolam, mudam e voltam. Por um lado é esquisito pensar "será que é uma segunda chance?", "será que é porque eu realmente errei na primeira?", mas por outro eu fico feliz pensando que se eu errei pelo menos ganhei outra chance. Or not.
Caralho, fala sério! Mais um exame? Menos mal que esse eu já esperava... Saí da prova semana passada já aceitando que estava de exame...

Acredito que a minha melhor solução é parar de olhar as notas, deixar p/ fazer isso no fds, quando todas as notas estiverem publicadas de vez... Esse papo de má-notícia todo dia é um porre...

terça-feira, junho 23, 2009

Putaqueopariu estou de exame de filosofia!!! Filosofia!!! Bacharel pela 3a. melhor faculdade de Publicidade do Brasil, Pós-graduada na melhor faculdade de Administração da América Latina e a meeeeeeeerda da faculdade de esquina me deixa de exame! Em Filosofia!!!! No 5a. ano do curso!!!! Ah putaqueopariu de merda de curso de bosta!!!

Isso porque estou fazendo uma merda de um trabalho estúpido de 20 laudas, com formatação ABNT sobre publicidade e direito do consumidor valendo bostinha de 3 pontos para ver se escapo do outro exame.

...

De boa, quero mais que se exploda, já tenho mesmo que ir fazer exame na próxima segunda, faço mais um, não vou gastar meu tempo mais com essa merda de curso nessa bosta de faculdade. Que inclusive foi vendida semana passada porque a merda faliu.

domingo, junho 21, 2009

Sabe aqueles dias que você acorda querendo ir pra onde o vento bater? Sem plano previamente combinado, sem rumo? Estava assim hoje então o dia começou com faculdade (sempre tem alguma coisinha obrigatória) e terminou com cover dos Misfits na Augusta! Enumerando então porque eu saí às 13:30 do sábado e voltei só agora, 5 da manhã do domingo.
1. Trabalho p/ a facu
2. Faculdade - assinar lista, rapidinho
3. Rodízio!!! Me acabei na feijoada...
4. Chá e pain au chocolat
5. Jockey!! (mas chegamos tarde demais então vamos tentar de novo amanhã - ou hoje se vc preferir)
6. Shopping chique
7. Livro novo! As férias estão aí e eu nem quero pensar na monografia...
8. Sanduíche de costela
9. Café com dulce de leche
10. Gambiarra no espelho do carro, arrancado na facu...
11. Augusta
12. Ska, muito ska, só faltou a roda de pogo! E ainda bem que eu já tinha saído de casa com uma roupitcha totalmente adolescente, porque esse foi o clima do começo da balada - Relembrar é viver!
13. Cover do Clash - faltou eles cheirarem umas carreiras, ou talvez tomarem uma bolinhas, tava meio lento pro meu gosto...
14. Pista, com direito a mais 'relembrar é viver' (tocaram Nirvana) - ótimo, perfeito
15. Cover do Misfits - gozar com o pau dos outros é tudo - mas eu gostei do vocalista, ele era péssimo mas carismático e estava se divertindo!!
16. Cookies no carro
17. Havannets antes de dormir!

Eu pensei em mais um monte de coisas pra dizer sobre a balada porque eu adoro ska-(punk) e a vez mais recente que eu lembro de ter dançado ska-(punk) na balada foi quando eu tinha uns 13 anos e frequentei algumas verduradas de straight edges, mas agora estou com sono e só estou escrevendo pq o computador já estava ligado e eu queria comer dulce de leche antes de dormir... Comentários sobre a balada vão ficar para outro dia!

sexta-feira, junho 19, 2009

No iPod (em volume ensurdecedor): "Blister in the Sun" - Violent Femmes


Finalmente! Sexta-feira! Fim de Semestre! Mais uma prova só! Ok, talvez eu tenha exames e afins e amanhã eu também tenho aula, mas o Sol brilha, continua frio, hoje é sexta, amanhã é sábado, não tive depressão de vida trabalho/estudo (provavelmente porque saí praticamente todas as noites entre o estudo e voltar ao trabalho). E essa semana eu comi comida ótima, ganhei presentinho, dei muita risada, pensei no fds, em viagens, no meu projeto de inverno, em Buenos Aires, no Marrocos, Egito, Paris... Mais um semestre e pronto! 'Everything flows' and 'Let me go o-o-on...'

quarta-feira, junho 17, 2009

Me sentindo um lixo de prima mais velha. Descobri (via facebook pra piorar) que a minha priminha favorita está grávida de 9 meses! Fui reclamar que minha mãe não me avisou e fui informada inclusive que meu outro priminho favorito também teve outro filho e eu nem fiquei sabendo da gravidez!

terça-feira, junho 16, 2009

E tem blog novo aqui na lista de links! O I don't belong here!!
Post rápido, pra comentar que estava indo dormir ontem, 2:15 da manhã, parei para fechar a cortina e namorar a lua um pouquinho e de repente, vi um balão! Daqueles de ar mesmo, com rabo de fogos de artifício!! Muito lindo, passando na frente da Lua.

(E agora penso no b.a.s.e. jumper que eu vi e que ninguém mais viu e por isso todo mundo acredita que alucino coisas no céu).

segunda-feira, junho 15, 2009

Eu não tenho a estabilidade mental necessária para aguentar uma semana inteira de trabalho / estudo / trabalho / estudo. E de novo, estou em semana de provas na facu. Lembrando da minha semana de provas anterior já estou prevendo o colapso nervoso, depressão profunda lá pela quarta feira.

Pra piorar é meio-dia de segunda e já tive que recusar 4 convites p/ baladinhas, happy-hour, barzinho que vão rolar nessa semana e todas com o mesmo comentário "estou na merda total, essa semana não rola, tenho provas..." - Sem contar os outros que já recusei durante o fds! Um convite inclusive p/ aquele sexo amigo em plena 3a. feira!! Depressããããão!!!

domingo, junho 14, 2009

Cansei de pensar na "função do político em uma sociedade de democracia", ainda é cedo demais para sair então vou falar do casamento de ontem.

Primeiro que fazia anos que eu não ia à igreja (católica) para assistir um casamento, e não porque não tenha tido gente que casou na igreja, mas porque eu acho meio esquisito (eu não tenho convicções só políticas, tenho religiosas também) então acabo sempre indo direto pra festa. E também porque geralmente a parte da igreja começa cedo, eu leso e acabo começando a me arrumar tarde demais e quando vejo já está na hora de ir direto para a festa mesmo.

Dessa vez todo mundo insistiu muito, a parte da igreja era bem tarde (21h) e o noivo é uma pessoa muito muito querida então tudo bem, eu fui assistir a parte da igreja e o que eu achei engraçado foram duas coisas:
1. o padre não manda mais dizer "até que a morte nos separe"
2. agora a parte do "o que Deus une, o homem não separa" ficou no modo condicional, virou "o que Deus une, que o homem não separe"

Então enquanto o novo Papa usa o camauro e múleos direto e insiste muito mais nos dogmas tradicionais da Igreja Católica, o que eu concordo que é a direção que faz sentido a Igreja tomar, os padres que realizam 4 casamentos em uma noite aceitam que é o mundo não é bem assim e sabem que 50% dos casamentos terminam mesmo em divórcio.

Segundo, e mais importante, é tão bom ver tanta gente querida junto!! E todo mundo super arrumado ainda por cima!! E até dançando axé!! Foi ótimo - mesmo a parte do coyote ugly/culpa do New Order/ahmeuDeus, sou uma abusadora de menores.

sexta-feira, junho 12, 2009

Sempre acreditei que minha verdadeira vocação é p/ garçonete, mas por causa desses quase 2 meses passados estou precisando rever meus conceitos, praticamente toda semana eu quebrei pelo menos 1 coisa na minha casa, no mínimo 1 copo de vidro e no máximo 4 pratos rasos de uma só vez. Toda semana eu preciso avisar a faxineira pra não andar descalça em casa. Quebrei 3 cinzeiros (e o 3o. foi o que eu havia comprado p/ repor os outros dois - e esse eu quebrei derrubando da janela! Podia ter matado alguém se não tivesse sido tão de madrugada!). Ontem derrubei e estilhacei um coisico de vela lindinho, que eu adorava, então toca juntar cacos e varrer o chão 3 da manhã, no meio da insônia.

O único bônus dessa fase destrambelhada é meu novo cinzeiro fofo/incentivo pra parar de fumar!


PS. comentário sobre o dia dos namorados! Que porra é essa de gente chamando hoje, o "Dia dos Namorados", de "Valentine's Day"?? Dia de São Valentim é uma coisa, véspera de Dia de Santo Antônio é outra!!! Mesma ira que eu sinto com o pessoal que inventou de parar de distribuir doce no dia de Cosme e Damião e adotou 'Halloween'! Eu ainda moro no Brasil e gosto daqui!! Eu quero quentão, bolo de milho, maçã do amor, esfaquear uma bananeira, tirar o bebê do santo, virá-lo de ponta cabeça e enfiá-lo no freezer!!

terça-feira, junho 09, 2009

No iPod: "In Sympathy" - Depeche

You're wise, you're tough
You've heard their lies enough
You smile in sympathy...

O post de hoje foi para a Danilândia! E eu estava ligeiramente irritada de saber que meu sonho da noite passada foi super legal mas não conseguir lembrar dele, li meu horóscopo e fiquei brava de vez comigo mesma! Porque o horóscopo diz: "An intense, vivid, and extremely emotional dream may come your way (...) When you awaken, the meaning of the symbols should be fairly clear. What do they mean to you, and how can you apply them to your current situation? Think about it!" Que droga, se eu nem lembro o que foi que sonhei como posso pensar em o que isso significa para mim?

segunda-feira, junho 08, 2009

Conversas sobre a festa no puteiro que eu tinha esquecido de publicar!
"Peguei gonorréia! Só de entrar nesse quarto e respirar esse ar, tô com gonorréia!"

"- É... Confesso que tive que tomar banho antes de ir deitar qdo cheguei da festa...
- Putz, eu tomei banho e tive que fazer a barba hoje de manhã, estava me sentindo meio sujo..."


E segunda confissão, ri mais no domingo estourando bombinhas numa ruela de Moema, às 11 da noite, com outros dois 'adultos' do que na balada de sábado.
O show do Matt & Kim? Não quero falar no assunto e não me perguntem, a menos que seja ao vivo, aí talvez eu explique.

Mas sobre a festa no puteiro, coloco duas fotos abaixo (fotos do "andar de cima", pq a festa era mesmo no salão de baixo, com direito a muito neon, espelhos e mais espelhos e um palco com mastro p/ strip - uma delas eu pretendo trocar qdo pegar autorização / autorização recebida, e agora foto com legenda) e um vídeo.
"Velho putanheiro observa cama e recorda fase áurea de sua vida"




video

sábado, junho 06, 2009

Pensando em ir fazer alguma coisa para comer e me arrumar para ir ao show. Esquisito não estar ligando para outras pessoas para combinar quando, como, aonde se encontrar e afins. Acho que estou sem prática de ir a shows sozinha...

Assim, eu sempre fui do tipo que faz o que quer fazer, independente de ter cia. ou não, mas percebi agora que deve fazer mais de ano que não vou a um show sozinha e nem tanto porque não tiveram shows e coisas que eu quis fazer, mas sim porque eu não quis o suficiente para ir sem outras pessoas. Será que estou envelhecendo e me tornando um animal ainda mais social que antes? Ou será que é porque eu já passo tanto tempo morando só comigo que não tem tanta graça sair só comigo?

Enfim, vou fazer alguma coisa para comer, me arrumar e depois sair e aí se ainda tiver pique, sair de novo, e na segunda saída é com mais gente, e gente que eu adoro.

quinta-feira, junho 04, 2009

A gripe continua, mas melhora mil por cento com:

Assim, que eu sou apaixonada pelo Bear Grylls não é novidade (mesmo com o Guss reclamando que ele é pior que o gato mais pentelho porque você joga ele no meio do nada e ele consegue voltar). E que a melhor cura pra meu mau-humor é assistir documentários de escalada na neve dentro do ofurô quentinho (de preferência bebendo alguma coisa bem gelada, ou tomando um Melona, pra ter um geladinho na barriga).

Mas foi perfeito assistir um episódio dele perdido na neve com o Will Ferrel, rindo (pq foi sim engraçado), comendo deditos, de pijama, embaixo das cobertas, quentinha.
Gripe from hell, estou com 3 blusas, 2 calças, 3 meias e meus dedinhos dos pés são cubinhos de gelo. E eu preciso melhorar até amanhã, ficar boa mesmo porque além do Matt & Kim, onde eu pretendo morrer de pular, ainda tem balada imperdível / de despedida depois...

E eu pretendia colocar alguma imagem sobre os 20 anos da coisa da Praça da Paz hoje, mas não tem imagem - o Governo Chinês é essa coisa absurda, sem noção! E esse blog é mais sobre a minha vida do que sobre minhas convicções políticas então, segue flyer da festa imperdível.

domingo, maio 31, 2009

No iPod, no iTunes, na cabeça: Nick Cave & the Bad Seeds - Dig, Lazarus, Dig!!!


É isso, fds de Nick Cave, trabalho, quebra-cabeça, escalada (porque agora eu sou uma pessoa que escala, e parede ainda por cima - saindo da metáfora, entrando na realização). E Nick Cave me deixa "agitada" então ainda estou trabalhando, mas com a cabeça no que eu vou fazer depois de sair do escritório...

sexta-feira, maio 29, 2009

No iPod: "Justify my love" - Madonna - Are you scared?


Noite de pouco sono e sonhos malucos. Culpa do brinquedo novo!! Um quebra-cabeças pequeno (1.000 peças) e bonitinho, acabei dormindo nada e montei quase 1/3 dele já...

quarta-feira, maio 27, 2009

No iPod: "Caribou" - Pixies


Mau-humor mega master. Tem gente que não entende como eu posso pensar em largar a facu na metade do 5o. ano. É fácil. Acordei maomenos, tive um dia de merda, interminável (no meio de uma semana, um trimestre da porra), me abalei de Diadema até a putaqueopariu de Pinheiros, rodei por 15 minutos até achar um lugar onde parar meu carro, corri 4 quarteirões porque estava "atrasada", entro na sala e descubro que não só não vai ter aula hoje, como na verdade é uma discussão sobre não ter as próximas também, fazer aula 'online' (kinda - só dessa matéria). Faculdade de bosta. Idéia estúpida do cú de fazer outra graduação. Merda de genes que me impedem de realmente largar de verdade.

segunda-feira, maio 25, 2009

No iTunes: "That Kiss" - The Courteeners


Entrei para falar do meu fds, li o post aqui debaixo e resolvi só dizer que satisfazer vontades só porque sim é ótimo, mas quando a sua vontade coincide e é apreciada pelo outro lado aí é perfeito.

sexta-feira, maio 22, 2009

A vida é cheia de som e fúria. A peça de teatro foi linda e esse nome é fantástico. "A vida é cheia de som e fúria" perfeito.

Pensando nisso em loop hoje, talvez porque ano que vem estarei livre então vários planos e idéias e coisas para 2010 (esse número não é lindo, perfeito?) passam pela minha cabeça o tempo todo.

Depois de todo o festival de "eu me amo" do fds passado, essa semana eu saí de corset (duas vezes - e pretendo de novo hoje) e fiz coisas que não devia e que de fato são desperdício, mas eu quis então foi. E agora pensei nisso, "coisas que são desperdício". Mas não são! Porque a vida é cheia de som e fúria e não faz sentido economizar em vontades - a menos que você só queira fazer algo pra obter um retorno, o que não foi o caso. Fi-lo porque qui-lo. E fazendo lembrei de quem eu sou e me amei mais um pouco.

Afinal, baixa auto-estima é um saco, odeio quando comprovo minha teoria sobre mulher mal-comida e ainda bem que minha auto-estima está voltando pro lugar certo.

quinta-feira, maio 21, 2009

Hoje eu queria estar saindo com um cara bom de desenho... Eu pediria p/ ele desenhar várias coisas em mim.

Me divertindo com o "Breathe" no meu pulso ainda e pensando em transformar a tinta bic azul em tinta preta de tatuagem...

quarta-feira, maio 20, 2009

No iPod: "Light & Day" - Polyphonic Spree - acordei meio blé, ainda com sono, e dias cinza me deixam com sono duas vezes, mas o Mr. Blonde sabe me animar e no shuffle fez uma seleção levanta defunto! Músicas felizes somadas ao meu atual vício em So you think you can dance; eu acabo dançandinho no elevador mesmo quando não estou sozinha. O bom foi que eu estava no elevador com um piloto de avião (ele estava de uniforme e é bem bonitinho e I love a man in uniform) e ele riu e até dançandinho comigo.