terça-feira, dezembro 21, 2010

Esse ano que está acabando eu morei em 3 lugares diferentes, fui à 3 continentes, estive em 6 países, abracei mais de 200 pessoas, fui a mais de 1.000 lugares, trabalhei em 2 empresas, em 3 equipes, 5 projetos. Dormi em umas 15, talvez 20 camas diferentes. Fiz amigos novos, me afastei de antigos, fui surfar, beijei na boca, nadei no mar e passeei em Paris.

Comi comidas estranhas, apertei mão de desconhecidos, pedi colo à conhecidos, chorei em restaurante lendo livro novo e lendo livro velho, dormi em aeroportos, com a cabeça apoiada no notebook, passei por Imigração e Alfândega, fiquei presa em Roma por causa de fumaça de um vulcão. Dei presentes, ganhei presentes, bati papo de madrugada, com meu irmão, com meus amigos e sozinha mesmo. Fugi de mim, fugi de outros, me encontrei e me perdi, por ruas estranhas e dentro dos meus pensamentos.

O mais importante? "Love, Love, Love..." ('All you need is love' style), como tocou no casamento lindo que eu fui no sábado.

Porque nesse fim de ano fui lembrada que o importante é isso, Love, seja pelos amigos, pelos pretês, pela família, pelo trabalho, um projeto, por uma comida diferente / nova / esquisita, por um livro, um filme, uma frase, um tweet, uma música, um cd, um show, seja pelo o que for. O importante é deixar o amor transbordar. All you need is love

Enfim, não devo escrever aqui de novo até 2011, então: Lindo Natal, Ano Novo Perfeito à todos.

domingo, dezembro 05, 2010

No iPhone (de novo, igual mas diferente): "Falling" - Florence + The Machine

I dance with myself, I drunk myself down
Found people to love, left people to drown
I'm not scared to jump, I'm not scared to fall
If there was nowhere to land I wouldn't be scared at all


Então eu mudei de casa. 7 meses depois que eu saí da minha casa anterior, tenho um quarto. E estou morando em uma casa, coisa que não fazia desde que eu era bebê. E pela primeira vez estou dividindo minha casa com alguém que não é da minha família imediata.

Parece pouco, mas é bastante coisa, te garanto.

E meu quarto é azul calcinha, e tenho um armário com cabides de novo.

Eu podia dizer que o período acampando no escritório do meu irmão foi a prova máxima do meu desapego, mas não foi, não foi tão difícil assim viver sem meus livros e cd's, sem um armário com trezentas opções de roupas, tanto que eu nem trouxe minhas outras roupas para a casa nova ainda.

Foi até que bem legal voltar a bater papo de madrugada com meu irmão. Foi interessante / enriquecedor saber quais coisas materiais são realmente necessárias para mim. Conhecer minhas prioridades de fato.

A música repetida é isso, é sorrir sabendo que eu sou a mesma pessoa, que as mesmas palavras e melodias me movem, seja acampando no meu irmão sem um armário seja tendo um quarto e uma casa. Ainda que em constante mudança, I'm not scared to jump, I'm not scared to fall, I know I'll still be my very own person. Eu ainda fecho os olhos dançando e sorrio.

Enfim, é isso, feliz com a mudança, feliz com a casa, feliz com meus vizinhos, com saudades de bater papo de madrugada com meu irmão.

terça-feira, setembro 21, 2010

No iPhone: "Falling" - Florence + The Machine

I dance with myself, I drunk myself down
Found people to love, left people to drown
I'm not scared to jump, I'm not scared to fall
If there was nowhere to land I wouldn't be scared at all


Porque em algumas noites como hoje, com a Lua Cheia me iluminando, se eu ficar bem na pontinha dos pés, na beirada da sacada do décimo segundo andar, eu posso fechar os olhos e respirar o ar do Himalaia e sentir no meu corpo a Lua que brilhava em Dharamshala.

quinta-feira, agosto 12, 2010

No iPod: uma das minhas músicas favoritas, de uma das minhas cenas favoritas, de um dos meus filmes favoritos. "Wise Up" - Aimee Mann - "...By now you know...It's not going to stop... 'Til you wise up..."

Lembra que outro dia eu disse que talvez estivesse interessada em um cara? Então, assumi que estava e gentilmente o informei do fato. Porque eu sou aquele tipo de gente esquisita que pensa que se eu não fizer ninguém fará por mim, que se eu não disser o que sinto e penso ninguém lerá minha mente e adivinhará o que eu penso, então, fui lá e avisei "olha, então, estou interessada em você".

Na verdade meu approach padrão seria outro, mas enfim, estou nesse momento de tentar ser uma mulher menos ãhn, incisiva, então fui doce.

E tomei um mega fora...


Sem drama, tudo bem, não foi o primeiro, não será o último, acontece. Mas sendo Polyana, o lado que foi bom pra mim foi que, diferente das duas outras vezes que isso aconteceu, invés de eu tentar convencê-lo que sou legal e seria divertido para ele estar comigo eu consegui respirar e virar pro outro lado e sair andando, sem perder a amizade ainda por cima! Citando o Dandy Warhols, "You were getting older, I was getting wiser."


PS. Blog novo aí do lado, o Captain's Blog!

segunda-feira, agosto 02, 2010

Ok, sobre a Ayahuasca... Veja bem, é uma bebida famosa por ser alucinógena né, então sem grandes novidades, sim, eu tive alucinações - inclusive por umas boas 3 horas pensei que estava tendo alucinações auditivas, mas nem tanto, era só uns trens que ficavam passando na divisa do sítio onde eu tomei o barato.

Pra começar então, fui com uns amigos a esse sítio em Itapecerica, não que eu tivesse expectativas de ter uma 'super-iluminação', transformação ou um vision quest ou qualquer revelação gigante ou algo do tipo, o que eu esperava era participar de um ritual de Imbolc, onde seria servido o chá e com isso ter sim uma experiência legal e por que não, 'espiritual'.

Enfim, o lugar era interessante, um sítio com esse trilho de trens do lado, uma tenda gigante, hexagonal, uma fogueira, umas 30 pessoas, muitos instrumentos (tambores, sanfona, caxixis e afins) e aí começou a parte que já não foi me agradando muito, tinha um dito 'xamã', ele começou explicando sobre como seria o ritual e no meio explicando Imbolc e aí outro veja bem; Uma das tattoos das minhas costas é uma Lua Tripla com um Pentagrama no meio, eu gosto de Wicca e estudei bastantão o assunto e discordo de algumas várias coisas que o cara disse, além de discordar bastante de ser um cara falando disso como se fizesse parte de um dito 'Xamanismo Brasileiro'... Especialmente porque enquanto ele falava esticadão na cadeira umas 5 mulheres ficavam bem serviçais arrumando a tenda.

Resumindo essa parte então, era um cara que misturou 'xamanismo' com cultura Celta e criou um 'ritual' - que ele mesmo assumiu que foi de último minuto - pra cobrar uma grana de quem queria tomar Ayahuasca, que era meu objetivo então eu paguei.

Agora sobre o barato. É, dá barato e enjôo e dor de barriga e se você acredita que vomitar e ter diarréia é parte do tal processo de renascimento e que se você resistir você vai passar mal então bem provável que você não segure a onda e vomite e tenha diarréia mesmo - E aí um dos momentos bizarros da madrugada, enquanto uma menina ficava cantando uma daquelas músicas que induzem transe tinha uma galera vomitando escandalosamente por todos os lados...

Saí com mais certeza ainda que é uma bebida alucinógena e que se você quiser vai alucinar algo bem 'profundo' e talvez vomitar no processo. Ou então ser tipo eu, que foi de boa, esperando ter uma experiência 'enriquecedora' e com isso alucinou coisas engraçadas e aí dormiu.

Resumindo tudo então, foi uma experiência interessante e cansativa - esse papo de ficar umas 13 horas deitada no chão passando frio durante a madrugada não é mole - nem um pouco transformadora e não tenho intenção de repetir, apesar que isso não garanto, afinal tenho tendência à fuga então tomar um lodozinho com gosto de graveto até que ok se der barato.

quinta-feira, julho 29, 2010

33 Anos. Sinto que mereço Parabéns por ter sobrevivido a mais um ano.

Batendo papo no telefone com um amigo até agora há pouco e ele falava de simbiose, de relacionamentos, de opções de Vida - não falo de carreira, estudo, essas coisas, mas sim coisas de Vida com 'V' maiúsculo mesmo.

Ele mencionou uma coisa que uma vez eu disse sobre um ex, que "eu via nele o mesmo abismo que sei que tenho entre a Dani que mora aqui fora e a Dani que mora aqui dentro. E me apaixonei pela pessoa que ele era aqui dentro, comigo, a pessoa que os outros não conheciam." (o post inteiro está aqui)

Desde que eu escrevi aquilo (e faz tempo, foi em 2005) muita coisa mudou, mas continuo acreditando nisso, nessa coisa de estar com pessoas que você ama ainda mais no privado, de pijama, cabelo sujo, falando bobagens, confessando loucuras de madrugada. E agora tenho ainda mais certeza que essas pessoas são poucas no mundo. Essa tal de simbiose.

Mas preciso dizer que a Dani de 2005 diria pra ele não se contentar com menos que um amor-paixão simbióticos loucos e lindos, a Dani de 2010 nem tanto... Pois é, pisquei e tenho 33 anos e 'cautela'... Péssimo...

Enfim, muitas perguntas, poucas respostas, a DaniDani quer dar uma espiadela no fim da vida dela só pra ter certeza que está fazendo a coisa certa, saber se continua ou não. Eu fui na 'mulher das runas' e pedi pra ela parar de falar da minha vida 'amorosa' porque não quero ficar sugestionada, prefiro não saber, ir lá e descobrir.

Nesse momento, mesmo com os dias de silêncio pré-aniversário ainda me sinto Jesse e digo I think "I'm designed to feel slightly dissatisfied."

domingo, julho 25, 2010

No iTunes: "Ramblin' (Wo)Man" - Cat Power



Ramblin Women on the phone can babble for over an hour.

E eu que amo tanto dirigir, que amo tanto meu carro, que amo tanto São Paulo, que sou paranóica e vivo de janela fechada no trânsito. Tive pesadelos a noite inteira, passei o dia zumbi e sinto uma nóia se apropriando do meu corpo me dizendo pra não viajar sozinha (coisa que eu também amo).

Tinha decidido passar uns dias só comigo, em silêncio, fazer 33 anos me assusta um pouco, todos os altos e baixos desse primeiro semestre já tinham me dito que preciso de alguns dias para 'regroup' e aí de repente tem um louco socando a janela do meu carro e tentando puxar minha cabeça através da janela estourada. Não foi legal. Nem tão divertido quanto soa.

Então a nóia tenta tomar meu ser, eu respiro e paro no farol maligno, sozinha e mexendo no celular de novo. A nóia tenta tomar meu ser, eu respiro e vou viajar sozinha. Não acredito em medos paralisantes. E muito menos em traumas por coisas como uma tentativa de assalto, especialmente quando tem mulheres sendo estupradas como artifício de guerra em 2010. Get your life in perspective.

Mas antes de viajar, a DaniDani me lembrou da 'consulta' com a 'mulher das runas celta' que a gente queria marcar então ok, vou só depois de ter ouvido que o futuro será fantástico, que tudo vai dar certo e ficar lindo. Hey, R$ 50,00 por esse tipo de reassurance é uma pechincha!

quarta-feira, julho 14, 2010

Conversas entre leoninas.

No iPhone: "Heart skipped a beat" - The xx - ...sometimes I still need you...

Começando a assumir que talvez eu esteja interessada de verdade em um cara. E quem me conhece sabe como isso é difícil para mim. Doloroso mesmo.

Mas mesmo assim ouço uma música e mando para outro cara, porque o novo eu penso que não vai entender então vai para um outro antigo que acredito que entende - apesar que sinto que ele não entendeu, mas enfim, a intenção.

A gente tem dessas, eu ia dizer que 'mulheres têm dessas', mas seria injusto. O que nos liga com uma pessoa às vezes é tão exclusivo e pontual que não faria sentido tentar duplicar ou replicar aquilo com outros então eu ouço uma música, penso em uma pessoa e é pra essa pessoa que a música vai, não para o novo.

---


Adendando porque me disseram que o post ficou triste - o que não era pra ser, mas a minha felicidade real é mesmo um pouco melancólica.

Complemento dizendo que eu amo essa coisa de ter uma ponte única e exclusiva com certas pessoas, de ter aquela piada que só aquele ex sacaria, uma música que transportaria só outro alguém determinado para longe, that's the beauty of it.

Num mundo de clichês, de piadas prontas, fáceis e rápidas, exclusividade ("s.f. Direito que não admite participação de outrem.") é lindo.

PS (a pedido): Resumo de tudo, o assunto é interno, a conversa é com umbigos.

segunda-feira, junho 21, 2010

video


Vídeo da minha chegada à Paris (mal feito porque eu demorei para encontrar de onde vinha o som) - Estação Châtelet.

domingo, junho 20, 2010

No iPod: "Age of Consent" - New Order

Do you find this happens all the time
Crucial point one day becomes a crime...
I've lost you, I've lost you, I've lost you...


Aquele post que eu estou devendo pra Fê é sobre tempo, sobre famílias de amigos, sobre se divertir, rir e chorar juntos, sobre como dançar de olhos fechados pode ser uma máquina do tempo e como enquanto alguns gostariam de ver o futuro outros preferem ir para o passado.

Ontem no fim do dia eu sentei aos pés da Sacré-Coeur, fazia 15 anos que eu não fazia isso, e eu fiz isso tanto há 15 anos. Mas aquela pessoa de 15 anos atrás eu perdi, não foi a mesma Daniela que viu o sol indo embora de cima de Paris, aquela era eu, mas era outra. Não existe mais no meu corpo sequer uma célula daquela pessoa.

Foi ótimo e esquisito voltar, eu fiz muitos planos sentada naquele lugar, eu sonhei com muitas coisas e posso dizer que nada daquilo que eu planejei se tornou realidade - exceto pela parte das pessoas, dos amigos, da vida - exceto pela parte boa. E a Daniela de ontem diz que por isso tudo bem. A de 15 anos atrás teria se revoltado, cometido auto-imolação, harakiri e se jogado da Pont Neuf.

Life is what happens to you while you're busy making other plans.

E o que me fez pensar no post que devo pra Fê foi que quando estávamos na balada, cada um dançando de olhos fechados no seu mundo, com sua própria máquina do tempo, ela me pediu pra ter 25 anos de novo. Ontem eu me perguntei se gostaria de ter 17 de novo.

Sim e não. Sim, seria legal, talvez eu fizesse algumas coisas diferentes. Não, não funciona assim e eu gosto da Daniela que existe hoje. Até mais do que do ser enlouquecido que existia há 15 anos.

Enfim, coming full circle. Na primeira noite de Lua Crescente. Uma noite antes do Solstício de Verão - o que eu confesso que me confunde já que em breve eu volto para o Inverno, but I digress, independente de eu decidir qual solstício vou considerar para mim, o importante é - a sensação de começo, de fim, de full circle.

PS. No meio desse post minha priminha mais bebê ligou pra me convidar para o aniversário de 1 ano da terceira filha dela. Pois é...

terça-feira, junho 08, 2010

Eu sei, estou devendo um post pra Fefê, mas vai ter que ficar p/ outro dia, entrei só para citar a Marilyn antes de ir dormir e sonhar em ter um armário com todas minhas roupas dentro um dia de novo.

"I'm selfish, impatient and a little insecure. I make mistakes, I am out of control and at times hard to handle. But if you can't handle me at my worst, then you sure as hell don't deserve me at my best." - Marilyn Monroe

segunda-feira, maio 31, 2010

Na cabeça: "The beauty of grey" - Live


Desenhando.

Estava com uma amiga ontem, contando ao vivo e em detalhes a noite na casa de swing, explicando que a parte mais legal foi que num mundo de opções, como é o nosso, não só dentro da balada, mas fora e all around mesmo, o que rolou foi que ficamos só o cara e eu mesmo.

Ela então me interrompeu pra perguntar porque então eu não fico com esse cara de vez.

E eu preciso desenhar que um momento, por mais íntimo e legal e único que seja - e ainda que a vida seja feita desses - é um momento, não precisa vir carregado, é bom e gostoso ser assim descomplicado.

A vida não é preto e branco, as coisas não precisam encaixar em caixinhas, a gente só dividiu um momento. Vida sem maniqueísmos, sem obviedades, sem certo e errado, sem preto e branco, the beauty of grey.

sexta-feira, maio 21, 2010

Na cabeça, em loop: ZZ Top - "Gimme all your lovin' all your hugs and kisses too! Gimme all your lovin', don't let up until we're through!

Como se eu precisasse ficar ainda mais empolgada! O show foi tão tão tão divertido que nem faz sentido tentar contar e explicar, quem estava lá curtindo o som, dançandinho com os velhinhos entende.

Eu só quis fazer o post pra comentar como a música e a risada e a diversão e guitarras, blues, dancinhas divertidas, tudo aquilo fazem diferença numa noite, no meio de uma semana, na vida de qualquer pessoa.

E pra comentar que não sou conversável quando 1. acabei de acordar; 2. estou dançando de olhos fechados; 3. estou gostando de um filme; e 4. estou curtindo um show; então quando o cabeludo gigante tenta me cantar no meio do show é claro que vou fazer sinal de 'depois', entregar meu telefone num papel e voltar p/ a música, que é onde eu escolho viver.

quinta-feira, maio 20, 2010

No iPhone: "Regret" - New Order

Empolgada para ir pro ZZ Top, o iPhone começou a tocar New Order, que foi um dos melhores shows que já fui, no mesmo lugar que será o de hoje. Me bateu um, como chama mesmo...? Cherish!

No almoço estava batendo papo e falamos de Paris, me fez sorrir também.

Tantos shows, tantos lugares, tantas músicas, tanta coisa que me faz sorrir, no meu mundo é até meio covardia com a fome mundial, com o aquecimento global eu penso.

"Maybe I've forgotten the name and the address
Of everyone I've ever known,
It's nothing I regret...

You may think that I'm outta hand,
That I'm naïve, I'll understand,
On this occasion, it's not true,
Look at me, I'm not you..."

segunda-feira, maio 17, 2010

Respondendo a Enquete - e agora auditado pela DaniDani e respondido por mim!

E BTW, a DaniDani fez
65 69 (número bem sugestivo né tia!), a Karin 71 e eu 83 75...

100 coisas para fazer antes de casar


1- Beijar mais de 100 caras. -
em uma noite? Se for na vida, sim, muito mais... Em uma noite só não...

2- Sair com as amigas e encher a cara (uma vez por semana)
- por quanto tempo? 1 ano dessa vida? 2 anos? Vale no colegial? - Sim, no colegial - DaniDani: Isso aqui envolve continuidade, não vale ter feito isso só na adolescência. Sim rejeitado. haha
3- Beijar o seu primo -
Não
4- Transar com mais de 5 caras -
De novo, em uma noite? Se puder ser na vida, sim, muito mais... Em uma só noite não...
5- Transar com um desconhecido -
Sim
6- Transar no primeiro encontro -
Sim
7- Se apaixonar LOUCAMENTE -
Sim
8- E sofrer loucamente por essa paixão -
Sim - depressão profunda, de fugir do trabalho e pegar 3 horas de estrada em uma 3a. feira só para pedir pra ele voltar
9- Ir no swiing (pode ser só para conhecer mesmo) -
Sim
10- Dançar em cima da mesa de um bar
- Sim, em cima da mesa, do balcão, da cadeira...
11- Ficar bêbada e acordar em algum lugar desconhecido - Sim - Onde vc acordou?? Q história é essa q eu não sei? Hahaha, acordei em lugares diferentes, mas foi na adolescência, se precisava de constância já era... Tudo bem, aqui não é constância
12- Vomitar na sua melhor amiga -
Sim - Não foi em mim (mas no meu caso a resposta foi sim e foi em vc. Hahaha) Hahaha, foi exatamente isso que eu pensei!!
13- Ir de penetra em um casamento -
Sim
14- Nadar pelada no mar -
Sim
15- Ir numa praia de nudismo -
Não
16- Transar na areia -
Blergh, que nojo, não
17- Ir pra uma balada sozinha -
Sim
18- Ir ao cinema sozinha -
Sim, muito
19- Viajar sem destino -
Sim
20- Transar com algum dos seus melhores amigos -
Pode ser só amigo, incluindo 'amigos de foda'? 'Melhor amigo' não - Não vale amigo de foda. Rs... Ah, mas eles são tããão meus amigos.. Desconta aí, q não vale! hahaha.
21- Pegar um buque de um casamento -
Não
22- Viajar só com homens -
Sim, e inclusive dividir cama de casal com homem e sem trepar!
23- Viajar só com mulheres -
Sim
24- Ir ao estádio de futebol com os seus amigos maloqueiros -
Não, não tenho amigos maloqueiros, são todos gente boníssima! :-P
25- Arrotar e peidar horrores -
Sim
26- Andar sem sutiã -
Sim
27- Ficar 3 meses sem se depilar - Sim
28- Ficar um sábado a noite sozinha, assistindo comédias românticas -
Sim
29- Comer potes de sovertes de haagen daz de doce de leite. -
Sim
30- Xavecar o seu vizinho -
Sim - Q vizinho??? Hahahaha, vizinho de quando eu morava na kit... Aquele flerte bem bobo, de elevador, de esperar p/ colocar o lixo pra fora na mesma hora...

31- Flertar no transito - Sim, adooooro!
32- Ficar com um cara comprometido -
Sim
33- Beijar um barman -
Sim, e inclusive alguns vários comprometidos!
34- Marcar um encontro com um cara que vc conheceu no bate papo -
Sim
35- Transar na escada de incêndio do seu prédio -
Sim
36- Usar calcinha furada -
Sim e também ter a calcinha rasgada num momento de empolgação na balada
37- Colar a bunda no box do chuveiro para as suas amigas darem risada. -
Não
38- Ficar com um gogoboy -
Sim
39- Ir no clube das mulheres -
Sim, e em puteiros também
40- Ficar com vários caras numa balada só -
Sim
41- Ir numa micareta -
Não
42- Ir numa rave -
Sim, inclusive Rave Gótica também
43- Passar um carnaval em salvador -
Não
44- Voltar viva de salvador... -
Sim e Não, pq eu estava trabalhando, não pulando carnaval - Não conta voltar viva do trabalho. Rs... Ah, droga...
45- Ficar louca com alguma droga -
Sim
46- Dar vexame no casamento de algum parente -
Melhor amigo conta como parente? Com mais de 30 anos na cara catei o primo menor de idade do noivo, na frente da avó dele... - Não conta como parente não. Rs... Pôxa, mas foi um dos grandes micos da minha vida!!!
47- Beber 24h seguidas sem parar -
Não
48- S air na mão com alguém -
Sim
49- Aprender a ficar sozinha -
Sim, adoooro
50- Ser dependente financeiramente -
Sim, até os 17 anos
51- Ficar com um gringo -
Sim, no Brasil e na Gringolândia
52- Morar no exterior -
Sim
53- Acampar -
Sim, mas eu era criança e não tinha opção
54- Ficar 3 dias sem tomar banho -
Sim
55- Fazer um curso de pompoarismo -
Sim
56- Gastar R$500,00 numa balada!! -
Pode ser R$ 500,00 convertidos para dólar? Se sim, sim
57- Pagar a balada de todas as suas amigas -
Pode ser a balada dos amigos? Se sim, sim
58- Gastar muito dinheiro no shopping -
Sim
59- Ir no sexshop -
Sim
60- Comprar um vibrador -
Sim, vários em vários formatos
61- Xavecar um homem -
Sim, vários em vários formatos também
62- Ficar com um hippie -
Sim, mas foi um erro
63- Fazer uma mudança radical no visual -
Sim - Qual foi essa mudança radical?? Quando eu terminei com o ABC! Cortei o cabelo Chanel!!!
64- Usar calcinha bege -
Sim
65- Ir num drive in -
Sim
66- Conhecer pelo menos 10 motéis da sua cidade -
Sim
67- Fazer um book de fotos -
Fotos sexy? Sim e também sim para uma entrevista de 'Mulheres que cantam os homens'
68- Filmar uma transa sua -
Não e se tentarem te vender uma fita pornô minha não compre, é falsa
69- Transar com um cara e ir embora sem que ele perceba -
Sim
70- Falar para um cara que ele é ruim de cama -
Sim e que o pinto dele é pequeno e que eu trepei com o amigo dele também.
71- Transar no banheiro de uma balada -
Sim, no banheiro, na pista, no estacionamento...
72- Dar uma puta festa! -
Sim, festa de fim de semana inteiro
73- Mandar o seu chefe tomar no cú e se demitido -
Não
74- Participar de um programa de tv -
Sim - Qual??? Do (omite porque é mico)... Foi por causa de um concurso de dança que ganhamos...
75 - Ser tiete de alguma banda/cantor -
Sim
76- Se vingar de um ex namorado -
Sim - Quem?? O q vc fez?? Do ABC... bem bobo, mas ele ficou puto...
77- Fazer uma viagem de trailer -
Não
78- Casar em Las Vegas -
Não
79- Comprar e por em prática o livro KamaSutra -
Sim
80- Fingir ser outra pessoa -
Sim, inclusive para entrar de penetra na festa
81- Ser expulsa de uma balada -
Sim
82- Ter um namoro escondido no seu trabalho -
Não
83- Trair um namorado -
Pode ser com outra mulher? Se sim, sim
84- Mandar um video para o BigBrother -
Serve o Amazing Race? Se sim, sim - Respondi igualzinho. hehehe
85- Ir num baile funk e dançar até o chão -
Foi um engano, mas sim
86- Ir para Barretos e ser laçada -
Serve Rodeio de Americana? Se sim, sim - Se vc não foi laçada não conta. Pô meu!
87- Sair de um lugar sem pagar a conta -
Sim
88- Fazer xixi nas calças de tanto rir -
Sim, mas eu não estava exatamente sóbria e foi só um pouquinho
89- Beijar um pagodeiro -
Sim, e dançarino de Axé também, e não na mesma noite
90- Beijar um cara feio, mas bem feio... -
Sim, mas beleza está nos olhos de quem vê, né!
91- Ir numa festa a fantasia com uma fantasia vulgar... -
Opa, sim, de dominatrix, com direito a chicote, em minha defesa, era um 'Halloween erótico'
92- Ligar bebâda para o seu ex namorado -
Sim
93- Terminar um namoro por telefone/ email... -
Sim - Q história é essa?? XYZ!! Terminamos por telefone!! Ele foi buscar as coisas dele na minha casa qdo eu não estava!! Achei q vcs tinham terminado no carro na estrada. Rs... Não, não, isso foi depois que a gente já tinha terminado!! A briga no carro foi quando ele me encheu o saco por...
94- Apertar a bunda dos seus amigos -
Sim
95- Dar um mosh -
Sim, entrei em roda de mosh e dei stage diving
96- Xavecar o pai gato de uma amiga -
Não, Complexo de Elektra passa longe daqui, eu gosto de meninos cheirando a leite, não tiozinhos
97- Atender o entregador de pizza de toalha -
Não, sempre morei em prédio que tem que descer na portaria, mas já fui muito de pijama, sem calcinha nem soutien buscar comida
98- Fazer uma tatoo de amizade -
O que é isso? Eu tenho tatoos, mas nenhuma é 'de amizade'...
99- Fa zer coco no mato e se limpar com uma folha -
Não, eu levei papel - Essa resposta foi excelente! hahaha
100-FICAR NOIVA E FINGIR QUE NADA DISSO NUNCA ACONTECEU! -
Não, comprei apartamento junta, mas nunca fingi que não aconteceu...

No iTunes: "Dog days are over" - Florence + The Machine


Ah, o primeiro namoradinho de primário, o primeiro beijo na boca, a primeira balada, a primeira viagem com a turma, o primeiro namorado, a primeira transa... E se você jogar certo, a primeira transa numa casa de swing.

Pois é, eu tive uma noite de primeira vez.

Esclarecendo, não foi minha primeira vez numa casa de swing, mas foi a primeira vez que eu dei em uma. O sexo não foi público, nem com um desconhecido, foi com um amigo - só ele e juro que foi inocente que eu me ofereci para levá-lo.

E aí, o que sobra pra contar ou explicar? Que foi muito legal? Que às vezes preciso ser lembrada de que não preciso ser só uma amiga e posso ser uma mulher inteira? Que apesar de sempre dizer que meu barato com o sexo é esquecer o mundo que gira, isso ganha um plus quando acontece num mundo girando rápido - no formato de um ônibus (sim, um ônibus) lotado de gente também trepando?

Eu poderia contar e explicar um monte de coisas, descrever como era a casa (na verdade, a primeira e a segunda casas que fomos), tentar justificar e vender a minha idéia, várias coisas. Essas coisas eu deixo pra contar ao vivo, pra quem me perguntar.

No blog prefiro só dizer que ainda sorrio quando olho pro meu joelho roxo, que como todos os meus outros primeiros vou guardar no baú com carinho especial, e que sinto que aquela noite foi a afirmação absoluta, o auge, desse meu processo de retomar o controle do meu corpo, dos meus sentimentos, de mim.

sábado, maio 15, 2010

Quiet.

I used to live right by a big avenue, all night long I could hear sirens, cars zooming by, car crashes, music from bars.

All night long, as long as I was awake, I could hear the city buzzing along with me.

Here I'm in the middle of a quiet neighborhood, right next to a big city park. It's all quiet after 11PM, I go out to the balcony for a smoke and I can hear my footsteps echoeing, I can hear wind chimes from another apartment, tinkling.

Ocasionally a truck goes through an avenue not so close to here, and I can hear it. From time to time I hear a whistle being blown by some sort of street guard.

In the middle of the roller-coaster ride that my life has been for the past few months I have inadvertently found quiet.

Feels kinda lonely, not only I have no home of mine, but right now I'm feeling utterly by myself.

Maybe it's just my sleep deprivation talking, but so much silence is ______ blank.

quarta-feira, abril 28, 2010



Empacotando minhas coisas para mudar de casa, só que dessa vez é diferente, não sei pra onde vou, ou melhor, sei que vou para a casa do meu irmão, e sei que tem que ser bem temporário. Depois, não sei.

Livros e DVDs todos encaixotados, vão para casa da minha mãe. Temporariamente.

Juntando sacos de coisas acumuladas, coisas para doar. Roupas, baterias, sapatos, cabos, adaptadores. Mas aí me deparo com um bilhete fofo, com um guardanapo daquela noite, com um coisinho de fósforos daquele bar super legal pra onde eu nunca voltei. Como eu posso jogar esses, eu sei, objetos, numa caixa e pronto? Sem saber quando voltarei a vê-los?

Semana passada fui a um tarólogo, ele era ruinzinho, mas disse algumas coisas ótimas, entre elas que a fase de 'tapar o buraquinho da barragem com o dedo' (palavras minhas; de novo, ele era ruinzinho) vai continuar mais um tempo, mas que eu preciso entender que resolver os problemas repetidamente, com soluções temporárias, é tomar o controle da situação sim, que eu não preciso ficar preocupada, a falta de solução definitiva, a falta de rumo é a direção - temporária - que a minha vida tomou.

Mas continua sendo a minha vida. Tá tudo bem. Ou pelo menos ficará tudo bem, daqui a um tempinho. É temporário.

O detalhe/nota interna: fez sentido o sexo de despedida do apê ter sido com quem foi, como foi, meio de supetão, meio desacreditando, meio sem por que, algo com gosto de 'não sei'. Um caso, uma paixão, que foi difícil colocar na caixa e mandar pra longe, mas que quando eu fiz isso, foi até que bem fácil continuar no meu rumo.

terça-feira, abril 20, 2010

Quando estava em Paris, uma noite decidimos ir ao Quartier Latin mas não conseguimos, no metrô começaram a avisar que a estação havia sido fechada, sem explicações, fomos então para outro bairro. No dia seguinte, por causa de uma ligação desesperada da minha mãe, descobri que o ETA tinha feito um ataque terrorista e explodido uma bomba na estação do Quartier, uma meia hora antes da hora que eu havia combinado de estar lá.

Quando estava na Flórida um furacão resolveu ir na minha direção, umas 6 horas antes de fecharem o aeroporto, depois de muitas idas e vindas, telefonemas para a cia. aérea, congestionamento no trânsito, correria pela avenida e pelo aeroporto, consegui embarcar para Boston e fugir do confinamento em um estádio.

Quando estava em Roma um vulcão resolveu esfumaçar tudo e... me fodi. Fiquei presa no aeroporto, vi muita briga (física mesmo, porrada), gritaria, gente no chão, nos bancos, hotéis lotados, bagunça, falta de comida e bebida, fiquei com calos nas mãos de carregar minhas malas e passei por muito mau-humor. Em compensação, voltei num vôo vazio para o Brasil, não peguei fila na Imigração e nem empurra-empurra no duty free!

Resumo: Mesmo quando minha sorte falhou ela ainda foi muito legal, furacão e bomba poderiam ter sido muito piores e com o vulcão fui compensada no fim!

quinta-feira, abril 15, 2010

Sobre a Espanha: Os Garçons!

Exemplo 1: Jantando em Valência, na cestinha de pão sobrou só um, ou melhor, metade de um, e não fomos nós (a DaniDani, a Ana e eu) que comemos a primeira metade. Pedi mais pão, o garçom veio, pegou a cestinha, enfiou na minha cara e me obrigou a pegar o pão meio comido. Sim, ele fez cara de bravo e tudo!

Exemplo 2: Almoçando em Cartagena, o prato de lula frita vinha com umas pimentas fritas também, tanto a Ana quanto eu ignoramos as pimentas, quando o garçom veio tirar o prato ficou enfiando o prato na cara da Ana para que ela pegasse as pimentas e ficou bravo quando ela se negou!

Exemplo 3: Jantando ontem, (a) pedi uma porção de croquetas, ele me respondeu que só ia mandar meia porção porque a inteira era grande pra uma pessoa só; (b) não comi o prato inteiro, fui pedir a sobremesa, ele disse que quem não come tudo não ganha sobremesa, tive que barganhar, pagar de coitada, dizer que estava sozinha, que era minha primeira refeição per se em 5 dias, que precisava de chocolate; (c) ele aceitou mas não quis me trazer o menu, disse que ia me trazer algo que eu ia comer tudo; (d) não toquei no sorvete da sobremesa, ele me respondeu que assim não iam mais me deixar voltar ao restaurante.

PS. O garçom 1 foi um tiozinho simpático; o garçom 2 era gatinho (pra mim, a Ana nem gostou tanto); e o 3 foi bem engraçado.

PS2. A sobremesa era fantááááástica, um coisinho de chocolate que quando eu enfiei a colher explodiu se transformando em chocolate puro, derretido, quentinho, um tipo fondue de chocolate em cima da frutinhas que estavam em volta - Óbvio que como foi minha primeira refeição sentada à mesa em 5 dias, eu escolhi voltar ao restaurante que já tinha sido fantástico, a Taberna "Comer, Beber, Amar".

quarta-feira, março 31, 2010

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é"



Horroroso, I know, mas é isso aí. E quando me perguntam porque eu saio com moços doidos eu só posso rir e dizer que é porque eles são doidos e me divertem. Que é porque eles me ligam numa 5a. feira qualquer, 7 da manhã, perguntando se eu não quero faltar no trabalho e passar o dia na cama. É porque eles me ligam à 1 da madrugada de uma 3a. feira, sem motivo, só pra dizer que estão disponíveis pra quando eu quiser, que eles comparecerão.

De boa, quer coisa mais divertida no meio de uma temporada maluca de trabalho, viagem, correria, e claro, solidão e carência de solteirice + quartos de hotel em outros países?

quinta-feira, março 25, 2010

Em homenagem ao post que ando ensaiando, mas pensa que até num email pra uma das minhas amigas mais próximas eu avisei que estava com vergonha do que estava escrevendo. Imagina se vou conseguir postar no blog... Fica a música, porque eu me comunico bastante através de música.

segunda-feira, março 01, 2010

No iPhone: "Little Shadow" - Yeah Yeah Yeahs - ...Patience... For all your sight, there's no sight to see...

Vivendo um momento "Everything Flows". Momento marcando de encontrar a amiga que está morando no RJ e o que está na Tunísia na casa da que está em Madrid. Se há 3 meses tivessem me dito que isso estaria rolando eu responderia "endoideceu né?", mas aí, de repente, sem querer mesmo, everything flows. And boy, it does feel a little bit unreal I guess, but fantastic nevertheless.

Me sinto tão distante de 3 meses atrás, é realmente outra encarnação. Eu deveria ir até a faculdade resolver a coisa da tal da minha DP, mas nem estou a fim...

Ainda não tenho planos, continuo sem saber o que quero ser quando crescer, mas, everything flows, life is what happens to you, e se acontecer em Madrid, cercada de gente que eu adoro, melhor ainda.

sexta-feira, fevereiro 26, 2010

No iPod:"Old habits die hard" - Mick Jagger & Dave Stewart



Acordei pensando nas tatuagens de um ex, fiquei com um misto de saudades e mais saudades. Deve ser por causa do episódio de Mad Men que assisti ontem, o jeito que o Don Draper agarra a menina e de repente pára e já deitado em cima dela diz que só vai continuar se ela quiser (*suspiro, suspiro, suspiro*).

Deve ser por isso que acordei com saudades desse ex, ele tinha essa coisa canalha / fantástica, e ele não tinha medo de mim e eu estou sentindo falta de um homem que não pede licença pra passar na minha vida.

Link para a cena, marca de 4:21 (não funciona o embedding): YouTube

domingo, janeiro 31, 2010

No iPod: "La revolucion no se televisara" - Molotov


17h no México e já tanta coisa pra dizer... O mais importante é que eu não estava empolgada, 99% das pessoas me falaram mal da Cidade do México, mas eu adorei a cidade! Sim, rola uma miséria, rola um povo mal-ajambrado, a comida é um pouco assustadora, tudo isso, mas a arquitetura é linda e as surpresas pulam no seu colo o tempo todo (em formato de KFC, 7-Eleven em cada esquina, Starbucks, pajés astecas, música peruana, ciclotón, missa com bispos e corais, comida de rua mega-tentadora, b-boys e boulevards e parques lindos por todos os lados, daqueles que te convidam para parar e se perder por aí, entre esculturas fantásticas e funcionais).

Do começo e em tópicos então:
- o vôo foi um inferno, tinha toda uma galera indo junta pra Cancun e eles não pararam de levantar e 'conversar' aos berros e tirar fotos, resultado: menos de 3 horas dormindo;

- aqui está fazendo um frio da porra e eu não vim preparada pra isso;

- o meu quarto é lindo, mas bem pouco funcional, começa que não tem termostato então meu quarto é ou um forno ou uma geladeira - que por acaso não existe no quarto - e tudo é pago separado, ou seja 20 dólares por café-da-manhã, mais 50 dólares pela internet a semana inteira;

- falando em café-da-manhã, considerando que eu estava sem janta e sem café, foi um almojanta às 7 da manhã daqui, com direito a ovos, bacon, fajitas, burrito, tacos, guacamole e tudo o mais - já que eu paguei 20 dólares fiquei uma boa uma hora comendo;

- o almoço não teve qualquer coisa de mexicano, aqui tem KFC!!!! E Iti, estou levando sachets de molho de pimenta jalapeña pra você!

- o dia foi de turista master, caminhada de umas 6 horas pelo centro histórico (Gu você tem que vir ao Templo Mayor urgente) e depois ônibus sanduíche de turismo

- são 22h aqui, estou caindo de sono e amanhã tem a parte mais legal, as Pirâmides!! Que BTW acabei de descobrir que o nome da cidadela significa "o local onde os homens se tornam deuses", profundo isso...

segunda-feira, janeiro 25, 2010

No YouTube: "Breathe me (Four tet remix)" - Sia


Help, I have done it again
I have been here many times before
I hurt myself again today
And, the worst part is there's no-one else to blame

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me
I am small
and needy
Warm me up
And breathe me

Ouch

I have lost myself again
Lost myself and I am nowhere to be found,
Yeah I think that I might break
Lost myself again and I feel unsafe

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me
I am small
and needy
Warm me up
And breathe me

sábado, janeiro 16, 2010

O hotel: Plaza Real

Saí do banho e tinha um rato alado uma pomba na minha janela, que estava aberta, porque o ar-condicionado é ótimo mas a rinite estava me matando.

Meu quarto tem uma TV de plasma de 56 polegadas. Estou aproveitando para ler as legendas em espanhol.

A piscina é ótima. Quando eu vi que teria uma sala de ginástica, empolgada como sou, coloquei na mala roupa de ginástica e meias, o detalhe foi que esqueci o tênis... Ato falho.

A cama é fantástica, não quero sair dela. O frigobar é péssimo, não resfria.

Sempre que eu vejo que no banheiro tem uma banheira fico empolgada, mas aí vou tomar uma ducha e a cortina me ataca.

E agora vou jantar, depois continuo!
No iPod: ”Ressurection” - Temper Trap



Assento certo, na hora certa – quer dizer, maomenos, o vôo atrasou quase 40 minutos, mas eu estava dentro do avião na hora prevista de decolagem – enfim, lugar certo e eu sei disso porque abri a revista de bordo e no meu colo caiu uma etiqueta do que eu imagino que era uma boneca ou um bicho de pelúcia chamado “Kika”.

Sim, eu sentei no avião e caiu no meu colo uma etiqueta com quase meu apelido! Na verdade meu apelido é com 'C', “Kica”, mas tudo bem, eu entendi que foi um recado de que estou no meu assento.



E agora pra falar de coisas mais 'reais':

1. Com o atraso do vôo fiquei menos de 20 minutos 'no chão' de Porto Alegre! Na verdade eu nem cheguei a pisar no chão, fui do avião para o túnel, para outro túnel direto pra dentro do outro avião que menos de 05 minutos depois decolou p/ cá. Estavam só esperando por mim, a única passageira do vôo de SP que atrasou.

2. Para Rosário tinham umas 15 pessoas no vôo! 20 se contar os comissários de bordo e piloto!

3. Por enquanto Rosário me lembra Boston e Madrid...

4. Vizinho do hotel tem uma heladeria então fiz o check-in, coloquei minha mala no quarto e agora, 3 da manhã aqui, está tudo, o cartão-chave do quarto, a maçaneta, minha carteira, minha calça, a pia e a torneira, melado de helado de dulce de leche!

sábado, janeiro 09, 2010

O post que estou pensando desde o meio da semana, mas só hoje consegui tempo para sentar e escrever...

No iPod: "My turn (feat. Lightspeed Champion)" - Basement Jaxx - "tell me, when will all this start? ...I could never get away..."


Our brains are confused about time - "(...)it seems that people have trouble understanding the passage of time, and we need to “latch onto something we do understand” in order to comprehend it."

Essa semana falei com um dos meninos da faculdade e me pareceu que foi em outra encarnação que estudei Direito. Assusto toda vez que penso que o bebê da DaniB está pra nascer, foi em outra encarnação que nós éramos todas solteiras indo viajar.

Cada uma das minhas encarnações, trabalho na outra empresa, pós na GV, faculdade na Cásper Líbero, faculdade na Fadisp, baladas com os gays, noites de Madame, viagens com as Danis, mochilão pela Espanha, vida em Paris, frio em San Francisco e do Himalaia. Cada uma dessas vidas me parecem congeladas, paradas no tempo, bolhas de sabão pairando acima da minha cabeça e eu estouro e sinto tudo aquilo e lembro de tudo aquilo na hora que eu quero, na ordem e do jeito que eu preciso. Tudo me parece que foi ontem e em outra encarnação ao mesmo tempo.

E ao mesmo tempo também sinto que essas memórias são só isso, memórias, separadas do agora, da minha encarnação atual, só lembro dessas coisas quando preciso, não carrego isso em mim, são bolhas sobrevoando. Sem o tal 'peso da idade', da vivência, da 'experiência', sem peso. Assusto às vezes quando penso em todas as viagens, shows, baladas porque me sinto como um bebê, engatinhando.

Mas eu digo tudo isso e aí preciso lembrar que ontem estava me sentindo velha e com sono à 1 da manhã...

PS. Link novo aí do lado, o Blog do Shubas!