quinta-feira, dezembro 24, 2009

No coração: "Could We" - Cat Power



Antes de começar, clicou no play? Clique agora, a música está aí para ser ouvida!

Hoje no almoço estava conversando sobre 'Felicidade', assim, com 'F' maiúsculo mesmo, e sabe aquele tipo de conversa que mesmo depois de um tempão você ainda encontra mais coisas que queria (ou devia) ter dito? Então, foi esse tipo de conversa.

Mas o ponto principal que eu quis dizer - e consegui - foi que a Felicidade não é algo que se busca, mas sim que se encontra, e mesmo com meus altos e baixos, crises, dramas e momentos de êxtase, loucura, eu sempre pude dizer que sou feliz. Posso estar triste aqui e ali, mas eu sou feliz. No meu caso é uma doença mesmo. Pollyanisse. Crônica. Terminal.

Talvez seja o espírito Natalino que eu tanto adoro, o fim do ano, as promessas que 2010 ainda guarda, mas eu estava feliz no almoço, conversando com gente legal, comendo feijoada e sorvete, depois de novo, na janta, rindo com gente que eu amo, comendo comida tailandesa, e entre o café da manhã e o almoço e de novo, entre o almoço e a janta, mesmo parada no trânsito, o entardecer estava ótimo, a música perfeita.

Eu disse que vejo a felicidade como um contentamento constante, mas quis dizer a palavra em inglês, porque em português 'se contentar' tem uma conotação negativa e o que eu vejo é algo bem positivo, é um estar contente, feliz constantemente, porque Felicidade não é algo que se busca, mas sim algo que se encontra, no dividir uma refeição com pessoas novas, rir com amigos antigos, tomar um café de madrugada, ouvir uma música que nos move, em tudo, o tempo todo, a cada instante único e eterno.

Enfim, Feliz Natal!

Um comentário:

Lelê disse...

Totally agree!!! E acho que sofro da mesma "doença"!

Feliz Natal! \o/